20°
Máx
14°
Min

PF de olho na doação de R$ 8,6 milhões da JBS para campanha de Gleisi

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado - PF de olho na doação de R$ 8,6 milhões da JBS para campanha de Gleisi
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Os analistas da Polícia Federal estão debruçados em informações contábeis das grandes empresas e empreiteiras do país envolvidas com o escândalo de corrupção descobertos ao longo da operação Lava Jato. De forma minuciosa, fazem cruzamentos financeiros dos balanços das empresas com campanhas políticas anteriores.

Diz uma fonte da PF, com acesso à informações produzidas por estes analistas, que um dos focos de investigação é o montante de recursos transferidos pela JBS para as campanhas. A JBS é a maior financiadora de campanhas do Brasil. 

Só para a campanha da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) foram nada menos que R$ 54 milhões. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) recebeu R$ 8,6 milhões -- montante que representa 40% de todo o recurso arrecadado pela petista paranaense na última eleição, quando ela disputou o governo do Paraná. Importante destacar que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou as contas apresentadas pela atual senadora do Paraná -- o que, no entanto, não significa que a PF não possa comprovar ilegalidades. 

Os agentes federais suspeitam da atuação do ex-ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi e recentemente denunciado como chefe de um esquema que desviou R$ 100 milhões de um contrato do ministério do Planejamento, que seria a pessoa responsável por angariar recursos para a campanha da petista. 

A PF tenta traçar um paralelo entre os empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) jorrados nos cofres da JBS com as doações eleitorais. A empresa, formalmente, ainda não é o foco da Lava Jato, mas os agentes federais "estão comendo pelas beiradas". Algumas empresas da holding já foram alvo de operações de fases anteriores da Lava Jato. 

A fonte da PF informa que a JBS aparecerá em futuras ações da Lava Jato. "É só uma questão de tempo".