23°
Máx
12°
Min

Tentativa de barrar a Lava Jato deve derrubar mais um ministro de Temer

- Tentativa de barrar a Lava Jato deve derrubar mais um ministro de Temer

O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, está com os dias contados. Nos corredores do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto comenta-se que o presidente interino Michel Temer (PMDB) já estuda um nome para substituí-lo. 

Se confirmada as expectativas, Temer perderá o segundo ministro em menos de um mês de gestão por conta de suspeitas de tentar barrar, colocar empecilhos, na operação Lava Jato da Polícia Federal que apura o maior esquema de desvio de dinheiro do país -- que tem o foco na Petrobras. O primeiro a cair foi o agora ex-ministro do Planejamento Romero Jucá. O motivo é o mesmo: tentar barrar a Lava Jato. 

Em reportagem publicada neste domingo (29) no programa Fantástico, Silveira é flagrado em conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que fechou acordo de colaboração -- delação premiada -- com os procuradores do Ministério Público Federal (MPF).    

De acordo com a reportagem, Silveira participa de uma reunião na casa do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB). Na conversa, houve troca de reclamações sobre a Justiça e a operação Lava Jato. Na gravação, o atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle faz críticas à condução da Lava Jato pela Procuradoria e dá conselhos a investigados na operação.

Temer usou com Silveira a mesma estratégia adotada com o ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB). Qual seja, aguardar a repercussão do caso para adotar uma postura. Uma fonte bem informada, com entrada no Palácio do Planalto, informou que o presidente já aguarda o pedido de exoneração de Fabiano Silveira -- que deve acontecer ainda nesta segunda-feira (30).

A pressão sobre a saída de Silveira aumentou depois da manifestação de funcionários do ministério da Transparência, Fiscalização e Controle -- antiga Controladoria Geral da União (CGU) -- que fizeram um protesto na sede do ministério exigindo a saída do atual ministro.