22°
Máx
16°
Min

Espero que se lembrem dos discursos

Foram interessantes os discursos de Rodrigo Maia (DEM) e Rogério Rosso (PSD) na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. O pedido de voto, de improviso, dá sinais de esperança de que a Casa Legislativa cumpra o papel importante de discutir e aprovar as reformas que o País tanto precisa.

Cunha acelerou a reforma política, mas chegou a usar o regimento e trabalhar insistentemente pela aprovação, por exemplo, do financiamento de campanha pelas empresas, o que restou proibido a partir das eleições de 2016. Em meio a tantas acusações de uso de dinheiro de corrupção, via superfaturamento e aditivos, para financiar 'licitamente' campanhas, a Casa não poderia ter feito diferente. Cunha, por outro lado, foi importante, aliás, decisivo, para o impeachment. Ele aceitou a denúncia e atuou muito para aprovar o afastamento da presidente Dilma.

Mas as denúncias no Judiciário têm mostrado que o líder ninja da Câmara nadou de braçada no Petrolão, tanto que foi afastado e se viu obrigado a renunciar à presidência da Casa. Foi a última tacada para tentar evitar a cassação do mandato que se aproxima. Antes de aberta a nova eleição, tivemos de engolir o Maranhão, figura estranha, de discurso pobre, assim como Dilma, que convence apenas os bate palmas, que aplaudem porque servem, entre outros, para aplaudir. Enfim, o jogo político volta a avançar, com sangue 'novo'.

Eleito, desejo que Rodrigo Maia se lembre do discurso improvisado e consiga levar a Câmara a trabalhar e cumprir com o papel de discutir e aprovar as medidas que o Brasil precisa para voltar a crescer e a nação exige para deixarmos de ser apenas o País de um futuro que nunca chega.