28°
Máx
17°
Min

Ocupações motivadas pela merenda

No Paraná, o governo Richa teve de dedicar boa parte do discurso na última semana para justificar os problemas da merenda escolar, escancarados pelo movimento estudantil. Liderada pela UPEs, a ocupação de três escolas de Maringá surtiu efeito e resta aos estudantes saberem aproveitar o espaço conquistado para lutar por melhorias na educação, muito além da comida, e não apenas para replicar o discurso oposicionista de partidos e movimentos sindicais que dão suporte aos atos dos estudantes.

O governo abriu negociação e os estudantes liberaram as instituições ocupadas, o que garante o retorno às aulas a 2,1 mil alunos. O movimento da UPEs ganhou força em Maringá graças a mobilização dentro do Colégio Gerardo Braga, que após o anúncio de fechamento pelo governo, no ano passado, fez com que os alunos se unissem para manter a escola aberta. Isto explica, em tese, porque o movimento estudantil ocupou os colégios em Maringá, mas não conseguiu replicar os protestos em outras instituições de ensino do estado.