21°
Máx
17°
Min

Quintero e Silvio Barros deixam governo

Duas exonerações com o mesmo objetivo e a tempo do que determina a legislação eleitoral. Silvio Barros (PP) e Wilson Quinteiro (PSB) deixaram o governo Beto Richa (PSDB) para se candidatar a prefeito de Maringá. Silvio era o secretário de Planejamento e Coordenação Geral e Quinteiro o diretor de operações do BRDE. Do agora ex-patrão, claro, ambos desejam o apoio do governador na campanha, assim como uma aliança com o PSDB, que por hora, tem pré-candidato a prefeito, o empresário Evandro Buquera de Oliveira Freitas, pai do deputado estadual Evandro Junior (PSDB).

A cartada final das alianças do pleito de 2016 só vai ser vista entre 5 e 15 de agosto, prazo para convenções e registro de candidatos. Sobre o rumo do PSDB, ainda é difícil acertar. Por hora, é mais fácil especular que o deputado estadual Dr. Batista (PMN) tende a disputar a prefeitura pela quinta vez.

O vereador Ulisses Maia (PDT) já 'começou' a campanha. Na nova lei, não pode pedir voto, mas nada impede afirmar que é pré-candidato e expor o que pensa. Outros que preparam o terreno para os menos de 50 dias que vão ser reservados à propaganda eleitoral são o vereador Flávio Vicente (Rede), o empresário Edson Scabora (PV) e a professora Ana Lúcia Rodrigues (PC do B).

PT e PMDB, pelo bom tempo de TV e rádio a oferecer, tendem a ser bom aliados, se não surpreenderem com candidatura própria na reta final. O PTB e o PHS estão praticamente fechados com o PP. Restam a observar o PR, o PPS, o DEM, além do PSD e PSC, que podem ser os fiéis da balança das eleições municipais de Maringá.

Outros partidos com menor representação e que dependem de alianças para ter uma chapa competitiva para a disputa de vereador podem surgir com candidatos figurantes, ou não, se conseguirem fechar alianças competitivas. O que vem por aí é política eleitoral, com apresentação de planos para as melhores Maringá. Para os quatro próximos anos, valerá a escolhida em outubro.