24°
Máx
17°
Min

Últimos dias para conquistar votos

Falta pouco para o primeiro turno das eleições municipais e, em Maringá, o que todos se perguntam é se a disputa vai ou não para o segundo turno. Com quase a metade do tempo de TV e rádio e com o apoio de partidos que lançaram mais da metade dos 264 candidatos a vereador, o grupo da família Barros, representada pelo ex-prefeito Silvio Barros, trabalha forte para tentar vencer as eleições no dia 2 de outubro. Os assessores estão empenhados, querem se manter empregados na administração municipal.

Mas apesar deste ser o desejo dos apoiadores, a tarefa não é simples. Há três candidatos empenhados e com chances de chegar ao mano a mano, com tempos iguais de propaganda e chances de virar o jogo, afinal, em política, se elegem postes e a vaca chega a ir até a pista de decolagem. Para evitar o fim do jogo, no primeiro tempo, a tarefa de Wilson Quintero, Ulisses Maia e Humberto Henrique é atingirem juntos a metade, ou quase, dos votos válidos em Maringá. E quem for melhor vai para o segundo turno, com possibilidades de apoio dos outros. De dois a cinco por cento dos votos válidos virão com Flávio Vicente, Herculano Ferreira, Investigador Nilson e Priscila Guedes.

Dos pouco mais de 260 mil eleitores, uns 50 mil votarão em branco, nulo ou nem vão comparecer às urnas. Sobram, vamos especular, perto de 205 mil votos válidos. Terá o candidato da situação, que teve o atual prefeito por vice em dois mandatos, que vai representar um quarto mandato de um mesmo grupo político, a força para alcançar cerca de 103 mil votos no primeiro turno? Acredito que não, que possa chegar perto, mas não será tão fácil manter o comando do Executivo. Que terão maioria na Câmara é quase certo, mas a disputa é acirrada e há chances da oposição conquistar até mesmo oito das quinze cadeiras. Para quem deseja chegar ao poder, a hora de correr é agora, são os últimos dias para conquistar os votos.