22°
Máx
17°
Min

Alunos do projeto “Um chute para o Futuro” expõe quadros no PTI

Assessoria - Alunos do projeto “Um chute para o Futuro” expõe quadros no PTI
Assessoria

Meninos e meninas do projeto “Um Chute Para o Futuro” provaram que suas habilidades vão muito além dos pés: nessa segunda-feira (28), último dia de atividades deste ano da Oficina de Desenho e Pintura, realizada em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), eles mostraram as telas feitas durante as aulas. Com paisagens paradisíacas, cachoeiras, passos de bailarina e personagens de desenho animado, os alunos demonstraram que já são verdadeiros artistas.

Em um recado no mural do Espaço Ñandeva do PTI, onde a oficina era feita, Carolina Lowe do Nascimento, 15 anos, deixou registrado: “Eu gostei de tudo, das telas, de vocês terem dado a oportunidade para todos nós e terem tratado todos nós muito bem”. Ela contou que, antes de entrar no Um Chute Para o Futuro, a única atividade que tinha além da escola era o balé. Foi justamente esse o tema de um dos quadros dela, que retrata uma bailarina. “Me senti acolhida. Em vez de ficar na rua ou sem fazer nada, faço várias coisas lá”, comentou.

O pai de Adriele Kohls de Araújo viu um desenho que a menina fez no colégio e sugeriu que ela participasse da oficina. Ela relatou que topou participar, mas não acreditava no próprio potencial. Segurando o quadro que fez junto com a colega, Daniele Tracienski de Oliveira, 16, de uma linda árvore com um balanço, o sorriso no rosto expressa o orgulho que sente do trabalho. “É meu primeiro quadro, e eu não sabia que ia conseguir fazer um quadro desses. No começo ele não estava bom, mas quando terminou ficou bem bonito”, avalia. “Já estou fazendo outro”, complementa.

A realidade para Glória Gomes de Sousa Santos, 15, era melhor retratada em preto e branco. Mas o quadro que produziu durante a oficina mostra dois personagens cheios de cores. Sobre pintar colorido, ela comenta que “é meio difícil, mas tá indo”. A adolescente revela que entrar no “Um Chute Para o Futuro” significou uma “mudança de rota” na vida dela. “Em vez de ficar na rua, eu fico no projeto convivendo com pessoas que podem fazer o bem para a gente”. Clayton Gabriel Felix Santos disse que já pintava alguns quadros antes de participar da oficina, mas aprendeu técnicas e até como usar melhor as tintas. “Aprendi a não desperdiçar, porque tem bastante gente para usar”. Ele pensa até em fazer da pintura uma profissão.

Do risco para a tela

Tânia Judite Rodrigues da Silva, do programa de Educação e Cultura do PTI, responsável pela organização da oficina, conta que são duas turmas do Um Chute Para o Futuro, uma pela manhã e outra à tarde. As atividades tiveram início em 2015. “A gente optou em trabalhar com arte e cultura, porque era uma demanda do projeto trabalhar com a criatividade das crianças e adolescentes, e diversificar as atividades que eram mais na parte corporal”, explica. Ela afirma que muitos talentos foram descobertos durante as aulas. “É fantástico ver eles se perceberem como capazes, de começar com um risco e terminar com uma tela. Eles se surpreenderem com a própria potencialidade”, afirma Tânia.

O professor da oficina, Rogério Santos, sentiu a empolgação dos alunos. “Falar em desenhar e pintar é com criança mesmo. Você dá um lápis na mão de uma criança, ela vai desenhar e rabiscar. Antes de falar a gente está rabiscando. Então eles adoraram, né?”. Para ele, as aulas também foram gratificantes. “O professor vê a vontade de aprender nos olhos do aluno, e quando você vê isso também tem vontade de ensinar. Ver cada um deles crescer e aprender uma coisa nova, não tem preço”, ressalta.

Sobre o “Um Chute Para o Futuro”

O projeto um Chute Para o Futuro foi criado pelo professor Ronaldo Cleber Cáceres, em 18 de dezembro de 2005, com 10 crianças no bairro Porto Belo. Foi através do esporte e com muita dedicação que Ronaldo e sua família resgataram várias crianças da rua, fazendo a diferença naquela comunidade. Hoje a ONG atende 240 crianças e adolescentes, e conta com uma lista de 2.500 inscritos, aguardando por uma vaga.

Colaboração: Assessoria