22°
Máx
16°
Min

Atração internacional é destaque na programação do FILO desta quarta feira

O FILO é conhecido por espalhar arte pela cidade. A programação do festival desta quarta feira (31) confirma essa fama. Serão quatro espetáculos, nacionais e internacionais, em diferentes pontos de Londrina. Confira as atrações:

“Artista de fuga”

(foto: divulgação) (foto: divulgação)  

O belo cenário abriga três personagens entre paredes negras repletas de frases escritas com giz. O som da canção “Space Oddity”, de David Bowie, dá o clima para o começo do espetáculo. Na história, o mestre do ilusionismo Houdini é o alter ego de um escritor em crise, afogado no caos. O “Artista de Fuga” se pergunta se é possível escapar da morte, tentando fugir da própria vida banal. Procrastinador crônico, nunca dá conta de seus compromissos, dos prazos, do tempo, das contas a pagar, dos relacionamentos, afetivos ou profissionais.

Ansioso por natureza, angustiado desde sempre com o mundo ao qual pertence, se refugia em espaços mentais onde imagina que possa encontrar o lugar ideal para a construção de sua pretensa obra-prima, um romance eternamente inacabado. Entre o trágico e o patético afloram as neuroses de uma mente já quase alheia ao mundo real.

Horário: 19:00

Local: Teatro Zaqueu de Melo (Av. Rio de Janeiro, 413)

“Maria que Virou Jonas ou A Força da Imaginação”

Dois atores transgêneros se encontram num “chat-rolete”, compartilhando online o convite para a participação numa peça teatral. Já no espetáculo, contam ao público o impasse sobre a distribuição dos papéis masculino e feminino. A plateia participa de um sorteio ao vivo e a peça tem início.

Os atores se revezam nos personagens, enquanto lançam uma discussão sobre identidade de gênero, questionando os limites entre representação, fantasia, teatralidade, aparência e verdade. O texto é baseado no ensaio “A Força da Imaginação”, do filósofo Michel de Montaigne, sobre Germain Garnier que, nascido Marie, muda de sexo e é aceito socialmente como homem.

A montagem tem dramaturgia de Cássio Pires e da Cia. Livre, com direção de Cibele Forjaz. A companhia paulista trabalha desde 1999 com processos de pesquisa e criação abertos ao público, o que resulta na participação ativa da plateia na estrutura dos espetáculos.

Horário: 20:00

Local: Divisão de Artes Cênicas/ Casa de Cultura UEL (Av. Celso Garcia Cid, 205)

“Distância siete minutos”

Ao mesmo tempo em que o robô Curiosity é enviado ao espaço, jovem juiz se vê obrigado a abandonar sua casa, afetada por uma praga de cupins, e buscar abrigo na residência da família. O ambiente de julgamento onde ele toma suas decisões e a convivência com seu pai trarão à tona temas fundamentais, como a justiça, a felicidade e o destino.

Fundada em 2001 por Diego Lorca e Pako Merino, atores, diretores e produtores formados na Escola Internacional de Teatro Jacques Lecoq, em Paris, a Titzina Teatro se consolida como companhia de estilo próprio, definido como Sello Titzina. O grupo acumula quatro trabalhos premiados: “Distancia Siete Minutos” (2013), “Exitus” (2009), “Entrañas” (2005) e “Folie a Deux/Sueños de Psiquiátrico” (2003) – este último, também adaptado para o cinema.

Horário: 20:30

Local: Teatro Mãe de Deus (Av. Rio de Janeiro, 700)

“Especial Secos e Molhados”

Raquel Palma e o Saravá Trio (Alessandro Franco – contrabaixo, Fabio Farinha – bateria e Israel Laurindo – violão) fazem uma releitura de composições do “Secos e Molhados”, grupo que marcou os anos 1970 e influenciou toda uma geração, com sua linguagem que agregava teatro, música brasileira, folclore português, rock, poesia e androginia. Participação de Wendel Antunes (saxofone) e Robson Ganeo (teclado).

Horário: 22:00

Local: Bar Valentino (R. Pref. Faria Lima, 486)