24°
Máx
17°
Min

Final de semana inicia programação especial para as crianças no FILO

Na edição de 2016, o Festival Internacional de Londrina preparou uma programação especial para o público infantil, com cinco espetáculos que serão apresentados a partir deste final de semana em espaços variados, como a Biblioteca Pública, a Secretaria de Cultura, o Teatro Zaqueu de Melo e o Teatro Mãe de Deus.

“#Mergulho – Experiência Teatral para Crianças” 

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

A peça será encenada no sábado (3), às 19 horas, na Biblioteca Pública Municipal (Av. Rio de Janeiro, 413). Voltado especialmente aos pequenos de 1 a 6 anos, o espetáculo faz uso de projeções digitais e busca a interação da plateia com o elenco, por meio de uma narrativa que tem como propósito o reencontro de dois personagens: um que vive na terra e outro no mar.

A montagem foi desenvolvida pelo Eranos Círculo de Arte, um coletivo de Itajaí (SC) que busca exercitar o encontro do pensamento imaginativo e criativo das crianças que, hoje, têm um contato intenso com dispositivos eletrônicos e mídias em geral. "#Mergulho..." será reapresentada domingo (4) e segunda-feira (5), às 19 horas, também na Biblioteca Pública.

"Entre janelas"

Ainda no domingo, o espetáculo “Entre Janelas”, da companhia Tato Criação Cênica, de Curitiba, terá duas apresentações: às 16 horas e logo depois, às 19 horas, no Teatro Zaqueu de Melo (Av. Rio de Janeiro, 413). “Entre Janelas” fala sobre a amizade entre um menino e seu melhor amigo, o cachorro Pitu, que é abalada após o garoto ganhar um computador. Mais uma vez, o tema abordado é a interação das crianças como o mundo digital, e de que forma isso pode ser conciliado com o mundo real.

"A.N.J.O.S"

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Na terça-feira (6), às 19 horas, no Teatro Mãe de Deus (Av. Rio de Janeiro, 700), é a vez da Cia Cênica Nau de Ícaros, de São Paulo, apresentar “A.N.J.O.S.”. O espetáculo, que também será encenado na quarta-feira (7), em horário diferente - às 17 horas -, conta a história de quatro crianças que, dentro de um quarto, partem para uma expedição imaginária num mundo de incessantes mudanças: o da infância.

Com 24 anos de trajetória, a Nau de Ícaros tem um trabalho que se caracteriza pela fusão de linguagens: circo, teatro, dança e música. Em “A.N.J.O.S.” também há uma requintada coreografia que utiliza máscaras, maquetes, vídeo e ilustrações.

"O teatro de Caixa"

Espetáculo de teatro de figuras da companhia Rudinei Morales Teatro de Animação, de Porto Alegre (RS), será apresentado na quarta (7) e na quinta-feira (8), às 16 horas, na Secretaria Municipal de Cultura (Praça Primeiro de Maio, 110).

Com entrada gratuita, esta atração trata dos pequenos encontros da vida, enquanto o personagem Valentin relata aventuras em busca da verdade sobre suas próprias histórias. A interação com o público se dá por meio de uma caixa que proporciona a experiência do teatro dentro do teatro.

"Pelo mundo com Mawaca"

O prestigiado grupo Mawaca, de São Paulo (SP), chega ao FILO 2016 com o show “Pelo Mundo com Mawaca”, em única apresentação na sexta-feira (9), às 19 horas, no Teatro Mãe de Deus (Av. Rio de Janeiro, 700). O espetáculo convida o público infantil para uma viagem por diversos lugares e culturas do mundo por meio de músicas e danças. O Mawaca é a principal referência no cenário da música étnica no Brasil.

A programação infantil do FILO 2016 busca promover o contato da criança com o teatro, aflorando sua criatividade e proporcionando desde cedo a interação com a arte e a cultura.

“Nervures”

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Assim como nos últimos anos, o Cine Teatro Padre José Zanelli, de Ibiporã, será palco de espetáculos do FILO – Festival Internacional de Teatro de Londrina.

A montagem “Nervures”, do coreógrafo francês Fabrice Lambert – l’Expérience Harmaat, será apresentada neste sábado e domingo, dias 3 e 4 de setembro, ambos às 20 horas, e aborda o relacionamento do corpo com um móbile num jogo que é a metáfora do home moderno. O espetáculo tem 50 minutos de duração e classificação 12 anos.

“Tormenta”

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Espetáculo expressa dois extremos do corpo – a força e a debilidade – e do ser humano – a obstinação, a resistência, a necessidade e o abraço. Um olhar puro sobre a capacidade de transcender a palavra a partir do corpo. Delicado, frágil, brutal, o espetáculo dirigido por Igor Calonge desenvolve uma linguagem própria na dança contemporânea, calcada na narrativa, aproximando-se do cinema e da fisicalidade.

No plano simbólico, lida com potências, como se do céu vertessem energias, raiva em chamas, brasas inflamadas que tocam nossas cabeças se tornam carícias de água. Nós humanos não somos capazes de atingir a infinitude, mas podemos sentir a materialidade da pele que envolve nosso corpo e a água que cai sobre ela, nos inserindo na experiência fundamental da vida no aqui e agora – pelo menos até a próxima tempestade.

(com assessoria de imprensa)