22°
Máx
16°
Min

Obras de Lailana Krinski instigam pela materialidade visual

(Foto: Maringas Maciel / Assessoria de Imprensa) - Obras de Lailana Krinski instigam pela materialidade visual
(Foto: Maringas Maciel / Assessoria de Imprensa)

Um trabalho construído em camadas e na busca por salientar as relações mais intrínsecas entre as diferentes linguagens artísticas. A frase apresenta a obra da artista Lailana Krinski, que ao lado de Daniel Duda, Juliana Gisi e Samuel Dickow integra a exposição Intensidades Sensíveis, da Diretriz Arte Contemporânea, em Curitiba. A mostra aborda questões sobre a imagem na atualidade que, na visão da curadora, Ana Rocha, remetem a questões apontadas nas obras homônimas Etant Donné de Marcel Duchamp e Lygia Pape. A exposição fica em cartaz até 14 de julho.

Lailana apresenta um desenho feito com pasta de modelar, com relevo e densidade. O material branco, repetidamente aplicado no papel, dá corpo ao desenho e trás a escultura à tona. Segundo Ana Rocha, ainda que o trabalho permaneça visual, Lailana se vale do elemento tátil, numa relação quase contrária a Marcel Duchamp, pois toda a construção de Étant Donné se dá sobre a sedução do ilusionismo da perspectiva da imagem. “As imagens provocam no espectador uma curiosidade sobre o que há por trás dos volumes”, explica a curadora.

(Foto: Maringas Maciel / Assessoria de Imprensa)(Foto: Maringas Maciel / Assessoria de Imprensa)

Sobre os Étant Donné

A obra Étant Donné de Duchamp, feita entre 1946 e 1966, é uma instalação em que o espectador se vê diante de uma porta rústica e é convidado a olhar por uma fenda na porta. O que se vê: parte de um corpo nu deitado sobre a grama, sua mão segurando um lampião. Ao fundo, vê-se uma paisagem e uma cachoeira, que volta e meia brilha. Já o Étant Donné de Lygia Pape (1999), cujo título vem acrescido de um ponto de interrogação, é uma releitura da obra de Duchamp. Neste, a artista inclui o seu rosto numa colagem digital que completa a imagem do corpo visto através da fenda da porta no original.

Sobre Lailana Krinski

Lailana Krisnki caminha por diferentes esferas do mundo da arte, desenvolvendo trabalhos como artista plástica, crítica de arte e educadora. É graduada em Artes Visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná e especialista em História da Arte Moderna e Contemporânea pela Escola de Belas Artes do Paraná. Foi coordenadora do projeto #LAB, laboratório de crítica de arte, e conquistou em 2015 o Prêmio Bolsa Produção em Artes Visuais do Museu da Gravura da Cidade de Curitiba (PR).

Sobre a Diretriz Arte Contemporânea

Inaugurada em dezembro de 2015, pela galerista Zuleika Bisacchi, a Diretriz Arte Contemporânea realiza um trabalho de responsabilidade, critério, coerência, integridade e respeito aos artistas e ao público apreciador das artes, em suas diversas linguagens. Trata-se de um espaço de contemplação e cultura, onde o investidor tem a oportunidade de apreciar e adquirir obras de artistas já consagrados, assim como daqueles que estão despontando no meio.

Serviço

Exposição Intensidades Sensíveis

Período: De 14 de maio a 14 de julho

Local: Diretriz Arte Contemporânea

End.: Av. do Batel, 1868 / Shopping Pátio Batel / Piso L3 / Loja 329

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 14h às 20h

Entrada franca

Colaboração Assessoria de Imprensa