21°
Máx
17°
Min

Espetáculo musical e exibição de curta abrem o 9º Festival de Cinema

Foto: Assessoria de imprensa - Espetáculo musical e exibição de curta abrem o 9º Festival de Cinema
Foto: Assessoria de imprensa

O 9º Festival de Cinema teve início nesta segunda-feira (22), com exibição de curtas infantis, oficina e debates, mas a solenidade de abertura será realizada hoje (23), com apresentação do espetáculo “A Volta ao Mundo pelo Cinema” e estreia do curta-metragem “Relícário”, do grupo Contr4 Regra, ambas, produções cascavelenses. O evento está marcado para as 19h30, no Teatro Municipal, com entrada franca.

“A proposta desta edição é oferecer uma programação completamente gratuita, feita para a comunidade e com a comunidade. Ele vai possibilitar o diálogo da secretaria de cultura com as instituições de ensino, alunos e pessoas que fazem o cinema, cineastas profissionais e os novos produtores audiovisuais”, detalha a coordenadora do 9º Festival de Cinema, Silvia Prado.

“A Volta ao Mundo do Cinema” é uma produção da Orquestra Sinfônica de Cascavel, sob a regência da maestrina Giordana Galvan Lube, que também foi responsável pelo “A Volta ao Mundo” na semana de eventos alusivos à inauguração do Teatro Municipal, em abril de 2015. Ambos os espetáculos integram corais, grupos de dança, músicos e demais segmentos artísticos de Cascavel.

O espetáculo, que propõe uma viagem musical pela 7ª arte, estreou na programação de aniversário do Teatro, com lotação máxima, foi reapresentado na semana seguinte, devido à intensa procura, também com casa cheia. 

“A maioria do elenco já havia participado da primeira “A Volta ao Mundo” e, agora, novamente a dedicação de cada integrante foi máxima. Todos foram essenciais em todo o processo de montagem. Acredito que isso é um reflexo de maturidade, o que resultou em um espetáculo ainda maior e melhor”, explica a maestrina.

Outra atração que marcará a abertura do Festival de Cinema será a exibição do curta-metragem cascavelense “Relícário”, do grupo Contr4 Regra. Conhecido pelas esquetes bem humoradas, disseminadas no Youtube, estreia agora com um drama, baseado no livro “ A terceira margem do rio”, de João Guimarães Rosa, premiado recentemente na 2ª Maratona Cinematográfica de Toledo, na categoria profissional.

Exibições

A programação de curtas e longas-metragens é extensa e variada. O cronograma com datas, locais e horários de exibições já está disponível no site do evento. As exibições são abertas à comunidade. Interessados podem requisitar certificado de horas culturais do evento. No caso de participação de grupos, é aconselhado realizar agendamento prévio para um melhor atendimento ao público.

A programação da mostra de filmes itinerante pode ser acessada aqui.

Oficinas

No intuito de fomentar o cenário audiovisual da região, a programação contará com workshops abordando a produção para novos meios de comunicação, história da sétima arte, entre outros. Oficinas para aprender técnicas de fotografia, direção, roteiro, produção e pós-produção. As vagas são limitadas, disponíveis para cinéfilos e cineastas, amadores e profissionais. A programação é gratuita, com vagas limitadas e as inscrições estão disponíveis pelo telefone 3902-1865.

Acessibilidade

A programação também contempla acessibilidade, como tradução simultânea em libras; além de exibições com audiodescrição, dedicada a pessoas com deficiência visual, trata-se de uma faixa adicional, que relata cenário, marcações e expressões dos personagens na cena. Essa alternativa é uma parceria com a distribuidora Filmes Que Voam, especializada em estimular a acessibilidade audiovisual.

Mostras

Nos dias que seguem o evento, serão realizadas mostras de produções regionais inscritas como a Mostra de Curta Metragem e a Mostra Cascavelense de Cinema Infantil. Pensando no meio acadêmico, a programação contará com as mostras “Miradas Latinas”, da Unila; a Cinecom, na FAG e a exibição do filme “Sem tekohá não há tekó” na Unipar, sempre seguidas de debate sobre a produção exibida.

“O diferencial do Festival de Cinema de Cascavel é que as exibições não são competitivas, a proposta é fomentar e disseminar essas produções, valorizando-as e exibindo para o público”, comenta Silvia Prado.

Colaboração: Assessoria