21°
Máx
17°
Min

Filme de Tizuka Yamasaki abre festival em Miami

O filme da diretora Tizuka Yamasaki, Encantados, foi o escolhido para abrir o 20.º Brazilian Film Festival of Miami, na noite do último sábado, 17. A exibição foi realizada ao ar livre, numa agradável noite de lua cheia, no New World Symphony Soundscape Park, em Miami Beach. O público atendeu o chamado e ocupou o gramado. Os convidados brasileiros ali presentes ainda estavam impactados com a morte do ator Domingos Montagner, por afogamento, na quinta-feira, 15. Em conversas informais, o nome do ator foi mencionado em, ao menos, dois projetos cinematográficos para os quais ele já tinha sido pensado. A tristeza era geral.

E, durante a projeção de Encantados no parque, uma coincidência deixou a mesma plateia brasileira intrigada. O longa conta a história da pajé Zeneida Lima, nascida na Ilha do Marajó, no Pará - onde o filme foi produzido. Tizuka optou pelo recorte da vida de Zeneida em que ela ainda é menina e se descobre pajé. Essa fase de transição é muito difícil para a garota e, em dado momento do filme, fugindo do pai, que não entende (nem aceita) seu dom, ela se lança no rio e desaparece, como se fosse tragada por ele. Era impossível não se lembrar do que acontecera com Domingos Montagner dias antes.

No filme, Zeneida é interpretada com intensidade por Carolina Oliveira, de Hoje é Dia de Maria (2005) e I Love Paraisópolis (2015), e vive o primeiro amor - aí entra a licença poética da diretora - com Antônio (Thiago Martins), um ser da natureza, um encantado, um caruana, que conhece em Marajó. Rodado entre 2008 e 2009, Encantados traz ainda no elenco Letícia Sabatella, José Mayer, Ângelo Antônio, Dira Paes, Anderson Müller e outros. Já participou de outros festivais e ganhou o Prêmio da Juventude - Melhor Filme Brasileiro, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2014, mas ainda não estreou em circuito comercial por falta de verba. "O filme tem uma temática muito estranha para o mercado tradicional", explicou a diretora, em entrevista ao Estado. Mas ela ainda está na batalha por isso, mesmo com a cabeça já em outro projeto.

Tributo

Homenageada pelo festival, Tizuka, que estava presente na abertura, recebeu um troféu da organização. "Ela é uma pessoa que dedicou sua vida ao cinema e promoveu o Brasil ao redor do mundo", disse Adriana L. Dutra - que, assim como a irmã Cláudia Dutra e Viviane B. Spinelli, é uma das criadoras do festival - pouco antes da projeção, para o público presente.

"Eu não escolhi realizar um filme sobre a pajé Zeneida. Eu fui escolhida por ela", afirmou Tizuka, feliz com o tributo, também se dirigindo para a plateia. A própria Zeneida, hoje com 82 anos, era esperada no festival, mas, segundo Tizuka, ela foi orientada pelos caruanas, protetores da natureza, a não vir a Miami, entre outras razões, por causa da lua cheia e da mudança de estação no Brasil e nos EUA - a chegada da primavera no primeiro e do outono no segundo. "A lua cheia é um momento em ela fica extremamente sensível, se fecha", disse Tizuka, ao jornal "O Estado de S. Paulo", um dia antes da abertura do evento. "Quando ela falou que não vinha, desisti de convencê-la, e, ontem (dia 15), com a notícia da morte do Domingos, fiquei pasma. Ele morreu no período da lua, num rio que era tema da novela que estava falando sobre os encantados daquele rio, os mistérios, os perigos."

No dia da projeção a céu aberto, o público, que também era formado por estrangeiros, se surpreendeu com outro momento. No meio da sessão, o filme parou repentinamente. Um problema técnico que não demorou muito para ser resolvido e a exibição prosseguiu. "Deve ter sido os curumins", brincou Tizuka, já que o filme, após a interrupção, voltou a ser exibido exatamente no ponto em que os curumins aparecem.

O Brazilian Film Festival of Miami, que exibe e promove o cinema brasileiro nos EUA, será realizado até dia 24 e inclui na mostra competitiva filmes como Big Jato, Chatô - O Rei do Brasil, Um Namorado Para Minha Mulher (com Domingos Montagner no elenco), Mais Forte Que o Mundo e Campo Grande.

* A JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO DO PARÁ, DA PRODUTORA SCENA FILMES E DA ORGANIZAÇÃO DO FESTIVAL

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.