21°
Máx
17°
Min

Leonardo DiCaprio é o tema do 'Noitão' Caixa Belas Artes

Havia a expectativa, afinal confirmada, de que Leonardo DiCaprio recebesse o Oscar de melhor ator deste ano por O Regresso, de Alejandro González-Iñárritu. Toda a imprensa destacou as inúmeras vezes em que ele foi indicado, sem nunca ganhar. E, afinal, nem foram tantas assim - seis, incluindo uma na categoria de melhor coadjuvante, quando ainda era garoto. Existem, na história da Academia, casos de atores e atrizes que penaram muito mais pelo Oscar. Basta citar os casos de Susan Hayward e Geraldine Page.

O que torna o caso de Leonardo DiCaprio especial é o fato de ele representar hoje, no cinemão, um tipo raro de 'astro'. Após triunfar formando par romântico com Kate Winslet em Titanic, de James Cameron, Leo, como é chamado, tem feito escolhas que se assumem como 'artísticas'. Favorece autores. Pode-se argumentar, talvez, que a aproximação com Martin Scorsese o tenha contaminado. Scorsese tem feito um trabalho notável como restaurador de obras seminais do cinema mundial.

Quando fala de filmes que o inspiraram, revela-se um crítico apaixonado. Já os próprios filmes - As Gangues de Nova York, O Aviador, Os Infiltrados, Ilha do Medo e O Lobo de Wall Street, todos com Leo - têm sido superestimados, supervalorizados, deem o nome que quiserem.

DiCaprio não cita Diamante de Sangue, de Edward Zwick, que lhe valeu uma de suas indicações, como um dos grandes filmes de que participou. Há hoje, na crítica e no pensamento acadêmico dos EUA, um movimento para redefinir o conceito de 'qualidade' em Hollywood. Nesse novo pensamento, Diamante de Sangue - e os Batman de Christopher Walken ou o Superman de Zack Snyder - ficam mais bem situados que qualquer Scorsese recente. Não estamos falando, bem entendido, de Motorista Táxi nem de Touro Indomável. Muito menos de Depois de Horas.

Toda essa conversa é para dizer que, nesta sexta, 18, o Noitão do Belas Artes homenageia 'Leo'. A maratona vai apresentar títulos representativos de diferentes fases do ator, a começar por Gilbert Grape, Aprendiz de Se3dutor, de Lasse Hallstrom, que lhe valeu a primeira indicação para o prêmio da Academia.

Outros filmes do programa são - Diário de Um Adolescente, de Scott Kalvert; Django Livre, de Quentin Tarantino; e dois de Scorsese, Os Infiltrados e Ilha do Medo. O Noitão ainda exibe os tradicionais filmes-surpresa. A programação, que tem início às 23h30 e só termina na manhã de sábado, inclui sorteio de prêmios e café da manhã para os heroicos sobreviventes.

Caixa Belas Artes

Endereço: Rua da Consolação, 2423 - Consolação - Tel: 11 2894 5781

Ingressos: Os ingressos promocionais para este Noitão custam R$ 34 e R$ 17 (meia, para estudantes, correntistas do banco Caixa Econômica Federal, melhor idade) e dão direito a três filmes, exibidos em sequência. Tem poltronas numeradas. Em todas as salas, cadeiras adequadas para obesos e espaço para cadeirantes.

Venda dos ingressos: na bilheteria (cartões de débito: todos; não aceita cartão de crédito ou cheque) ou pelo site www.ingresso.com.br.