23°
Máx
12°
Min

Projeto Tela Alternativa exibe filme ‘O refúgio’ nesta terça

Filme do diretor Jacques Audiard integra o espaço de debate do projeto (Foto: Divulgação) - Projeto Tela Alternativa exibe filme ‘O refúgio’ nesta terça
Filme do diretor Jacques Audiard integra o espaço de debate do projeto (Foto: Divulgação)

A produção da França “O refúgio” (Dheepan, Jacques Audiard, 2015) fecha o ciclo Deslocamentos, Migrações e Fugas do ‘Tela Alternativa’, nesta terça-feira (23), às 19h30, no Auditório ”B” do Cine Teatro Ópera (Rua XV de Novembro, 472). O filme do diretor Jacques Audiard integra o espaço de debate do projeto de extensão do Departamento de Estudos e Linguagem (DEEL) da UEPG, que possibilita aos participantes conhecer a produção cinematográfica mundial fora do circuito comercial e do modo de produção hegemônico estadunidense contemporâneo e sua relação, quando existe com a produção literária.

O crítico Tal Rosenberg, editor de cultura do Chicago Reader, faz os comentários sobre o filme a partir de escolha da coordenação do ‘Tela Alternativa’. Rosemberg registra que o roteirista-diretor Jacques Audiard inteligentemente defende os cidadãos mais marginalizados na França ao abordar suas lutas, de modo oblíquo, em filmes de suspense. Neste drama de imigração, o foco é nos cingaleses (pessoas naturais do Sri Lanka) afetados pelas consequências da guerra civil entre o governo do país e a facção independente conhecida como Tigres da Liberação do Tamil Eelam (ou Tigres Tamil).

Passado Secreto

Dheepan (o autor e ator cingalês Antonythasan Jesuthasan); sua esposa, Yalini (Kalieaswari Srinivasan); e sua filha, Illayaal (Claudine Vinasithamby) são as falsas identidades de três refugiados do Sri Lanka. Eles emigram para a França, onde Dheepan acha trabalho como zelador de um esquálido projeto de habitação rural que acaba se tornando um local de venda de drogas a céu aberto, um cenário que gradualmente revela seu passado secreto de soldado tamil.

Embora tome uma brusca mudança para a esquerda no final, este filme ostenta a mesma construção de trama imaculada e a mesma consistência tonal dos filmes anteriores de Audiard, amplificados por desempenhos sensíveis, superlativos, de Jesuthasan e Srinivasan. Com Vincent Rottiers, fascinante como o chefe controladamente agitado, e uma trilha hipnótica de música eletrônica do prodígio Nicolas Jaar. (Tal Rosenberg, Chicago Reader)

Sessões de 2016

  • Deslocamentos, Migrações e Fugas

  • 23 de agosto- O refúgio (Dheepan, Jacques Audiard, 2015)


  • A Posse do Outro

  • 30 de agosto - O colecionador (The Collector, William Wyler, 1965)
  • 06 de setembro - Pigmalião (Pygmalion, Anthony Asquith, Leslie Howard, 1938)
  • 13 de setembro - Gotas d'água em pedras escaldantes (Gouttes d'eau sur pierres brûlantes, François Ozon, 2000)
  • 20 de setembro - A pele que habito (La Piel Que Habito, Pedro Almodóvar, 2011)
  • 27 de setembro - O quarto de Jack (Room, Lenny Abrahamson, 2015)


  • Os Sete Pecados Capitais

  • 04 de outubro (inveja) - O talentoso Ripley (The Talented Mr. Ripley, Anthony Minghella, 1999)
  • 18 de outubro (ira) - Relatos selvagens (Relatos Salvajes, Damián Szifron, 2014)
  • 25 de outubro (luxúria) - Shame (Steve McQueen, 2011)
  • 01 de novembro (gula) - A comilança (La grande bouffe, Marco Ferreri, 1973)
  • 08 de novembro (preguiça) - Alexandre, o felizardo (Yves Robert, 1968)
  • 22 de novembro (orgulho) - O último rei da Escócia (The Last King of Scotland, Kevin Mcdonald, 2006)
  • 29 de novembro (avareza) - Longa jornada noite adentro (Long Day's Journey Into Night, Sidney Lumet, 1962)

Colaboração Assessoria de Imprensa.