22°
Máx
17°
Min

Projeto Tela Alternativa exibe ‘O quarto de Jack’ nesta terça

Filme desta terça encerra o tema ‘A posse do outro’ (Foto: Divulgação) - Projeto Tela Alternativa exibe ‘O quarto de Jack’ nesta terça
Filme desta terça encerra o tema ‘A posse do outro’ (Foto: Divulgação)

O cineasta irlandês Lenny Abrahamson é o diretor de O quarto de Jack (Room, Lenny Abrahamson, 2015), que tem sessão, na terça-feira (27), no projeto de extensão “Tela Alternativa”, iniciativa do Departamento de Estudos e Linguagem (DEEL) da UEPG. Desde 2005, por mostras temáticas, o ‘Tela’ promove a discussão de filmes clássicos e tendências do cinema mundial. Trata-se de sessões gratuitas aberta à comunidade universitária e externa. O Quarto de Jack é o último filme do ciclo A Posse do Outro do projeto.

Após a exibição, os integrantes do projeto atum como mediadores na discussão a respeito de aspectos considerados relevantes do filme destacado em cada espaço do ‘Tela Alternativa’. Como pontua a coordenação do projeto, não é preciso ser claustrofóbico para ficar perturbado pela última história de Lenny Abrahamson. É uma história de amor, esperança e sobrevivência, toda ela confinada, numa parte significativa de sua ação, a um anexo sempre trancado fora da casa principal.

Meditação Reflexiva

Esse local é o lar de Ma (Brie Larson) há sete anos, período de tempo em que ela foi mantida em cativeiro por um homem que conhecemos apenas pelo apelido de Old Nick (Sean Bridgers), uma referência ao demônio. Os últimos cinco desses anos foram gastos criando Jack (Jacob Tremblay), um garotinho para quem este quarto representa o mundo em sua totalidade. Para deixar claro o que é terrivelmente óbvio, Jack é filho de Old Nick – uma criança nascida do estupro, que pode ser a única chance de salvação de Ma.

Escândalos recentes envolvendo pessoas como Josef Fritzl, Ariel Castro e Aravindan 'Comrade Bala' Balakrishnan mostram que a trama de O quarto de Jack pode ser bizarra, mas de modo algum fantasiosa.Todavia, o filme de Abrahamson - adaptado por Emma Donoghue de seu próprio romance de sucesso - não é uma exploração sensacionalista do tema, mas uma meditação reflexiva, às vezes poética, sobre como uma pessoa torna suportável um dilema digno de pesadelo.

A terça-feira (4) inicia o ciclo Os sete pecados capitais com a apresentação do filme O talentoso Ripley (The Talented Mr. Ripley, Anthony Minghella, 1999), discutindo o tema inveja.

A Posse do Outro

  • 27 de setembro - O quarto de Jack (Room, Lenny Abrahamson, 2015)

Os Sete Pecados Capitais

  • 04 de outubro (inveja) - O talentoso Ripley (The Talented Mr. Ripley, Anthony Minghella, 1999)
  • 18 de outubro (ira) - Relatos selvagens (Relatos Salvajes, Damián Szifron, 2014)
  • 25 de outubro (luxúria) - Shame (Steve McQueen, 2011)
  • 01 de novembro (gula) - A comilança (La grande bouffe, Marco Ferreri, 1973)
  • 08 de novembro (preguiça) - Alexandre, o felizardo (Yves Robert, 1968)
  • 22 de novembro (orgulho) - O último rei da Escócia (The Last King of Scotland, Kevin Mcdonald, 2006)
  • 29 de novembro (avareza) - Longa jornada noite adentro (Long Day's Journey Into Night, Sidney Lumet, 1962)

Colaboração Assessoria de Imprensa.