22°
Máx
17°
Min

Após nove anos, Teatro Mãe de Deus será inaugurado nesta sexta

(foto: Divulgação) - Após nove anos, Teatro Mãe de Deus será inaugurado
(foto: Divulgação)

O Teatro Mãe de Deus será inaugurado nesta sexta-feira (5). Sem sombra de dúvida, o local será um presente para Londrina, que sofre há alguns anos com poucos espaços adequados para a realização de eventos culturais. O teatro fica à Avenida Rio de Janeiro, 700, bem na área central da cidade, de fácil acesso.

A solenidade de inauguração está programada para as 9 horas no teatro e será dirigida a autoridades, convidados e destinadores pela Lei Rouanet (pessoas e empresas), além dos doadores espontâneos. Também participarão da solenidade, homenageados que contribuíram com a construção da história do Colégio Mãe de Deus. Algumas apresentações estão sendo programadas pela coordenação para uma inauguração pública.

Responde pela direção administrativa e de marketing do teatro, o coordenador de marketing e comunicação do Colégio Mãe de Deus, Raphael Tait e pela direção artística, a bailarina e professora, coordenadora do departamento de esportes e artes do colégio, Sônia Secco Cândido.

O Teatro

O empreendimento foi construído com planejamento acústico, uma área de auditório de 457 metros quadrados, palco com 88 metros quadrados que permite a apresentação de grandes espetáculos, 535 lugares com poltronas confortáveis, ar condicionado adequado ao espaço, toaletes, acessibilidade, três elevadores, foyer amplo com 250 metros quadrados e capacidade para 230 pessoas e um acabamento refinado. O teatro ainda conta com um sistema cênico moderno, espaços técnicos com projeção, iluminação e sonorização, sala de tradução e camarins completos.

A obra está orçada em pouco mais de 15 milhões de reais, sendo que parte foi bancada pela entidade mantenedora, o Instituto Social Educativo e Beneficente Novo Signo, mantenedor também do Colégio Mãe de Deus. Do montante, 40% foram valores angariados através da Lei Rouanet, destinados por várias empresas e pessoas físicas de Londrina, do Paraná e de empresas com sede em outros estados brasileiros. A obra será inaugurada sendo ainda necessário captar pela lei de incentivo o valor de R$ 1 milhão e 300 mil reais, o que pode ser feito até dezembro deste ano.

“Necessitamos da parceria de outras empresas e de mais pessoas físicas. Espero que todos reconheçam a importância deste projeto. O apoio da comunidade para a conclusão desta obra é muito importante para o movimento cultural de Londrina.”, diz a Irmã Rosa Maria Ruthes, gestora administrativa do Colégio Mãe de Deus e também coordenadora da construção do teatro.

O projeto

O projeto do Teatro Mãe de Deus é o maior projeto cultural aprovado pelo Ministério da Cultura em Londrina, pela Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, que permite 100% de abatimento do valor investido, no imposto devido, tanto para pessoas físicas como para jurídicas. Aprovado pela lei no final de 2012, os trabalhos para a busca por parceiros para o término da obra, iniciada em 2007 e interrompida na época por falta de capital, retornou tendo como meta principal a captação de R$ 7,5 milhões, para a conclusão do teatro.

Além da coordenação do Colégio e do mantenedor Instituto Social Educativo e Beneficente Novo Signo, o teatro conta com o apoio do Comitê de Desenvolvimento do Projeto formado por membros da comunidade londrinense que gestionam para angariar fundos e discutem as etapas do teatro com a coordenação.

Segundo o empresário Ary Sudan, membro do comitê, Londrina e região vão contar com um espaço adequado para a apresentação de peças teatrais, musicais e todo tipo de evento que necessita dos recursos ali disponíveis. “Sofremos com a ausência de espaços com recursos técnicos. O teatro será um instrumento importante para a arte londrinense que tem grande expressão nacional através de nossos festivais”, complementa.

Principais parceiros doadores: Lei de Incentivo a Cultura/Ministério da Cultura/Governo Federal; Governo do Estado do Paraná; Copel; Bradesco; Caixa Econômica Federal; UEG/Araucária; Cielo; Sanepar; Unopar; Ciplan; Elejor; Bratac; LCA; BRDE; ThyssenKrupp; Owa Brasil- Sonex; Norpave; A. Yoshii Engenharia; Castor e Darom.

(com assessoria de imprensa)