28°
Máx
17°
Min

Ator mexicano Cantinflas é homenageado em mostra em São Paulo

Há que reconhecer - seu tipo era bem ridículo. Mario Moreno, o Cantinflas, usava uma malha colada ao corpo, sobre a qual colocava calças arriadas no derrière, muito antes que isso virasse moda. Usava, não propriamente bigodes, mas duas vírgulas, uma de cada lado da boca. Um chapéu roto, um trapo pendurado no ombro - que chamava de sua gabardine - e estava pronto o figurino.

Mas não eras exatamente isso que fazia o público rir. Cantinflas desenvolveu uma maneira peculiar de falar rápido, textos enormes, mas depois se você perguntasse o que ele disse a resposta seria, invariavelmente, nada.

É tempo de reverenciar Cantinflas. Nascido em 1911, morto em 1993, ele pertenceu a uma era de ouro do cinema mexicano e a um tempo em que comediantes populares ditavam a regra em seus países. A França tinha Fernandel, a Itália, Totò, o Brasil, Oscarito - e o México, Cantinflas.

Nos anos 1940 e 50, sua popularidade ultrapassou a fronteira mexicana e, em toda América Latina, era possível rir com Carlitos. Até no Brasil, apesar da barreira do idioma. Distribuídos pela Pelmex, Peliculas Mexicanas, os filmes de Cantinflas, como os melodramas de Roberto Gavaldón, com todas aquelas estrelas (Maria Felix, Dolores Del Rio etc), lotavam as salas.

No Sesc, dentro das comemorações de 70 anos da instituição, começou na quinta passada uma programação intitulada Comediantes Como os de Antes. Em todas as quintas de setembro e outubro, sempre às 20 horas, na Praça do Sesc Pinheiros, ocorre essa sessão informal.

Começou com O Policial Desconhecido, na semana passada, prossegue, neste dia 8, com O Circo e, depois, sucessivamente, com Se Eu Fosse Deputado, O Engraxate, O Extra, O Padre, O Senhor Doutor etc. O ambiente é o mais informal possível - cadeiras distribuídas pela praça, telão, som ambiente.

Pelos títulos, o público pode ter uma ideia de que a popularidade de Cantinflas se baseava nessa capacidade que ele tinha de retratar o homem mexicano, independentemente de sua classe social, ou credo. O político e o padre, o engraxate e o doutor, Cantinflas era um e, ao mesmo tempo, era todos.

Ao longo desses dois meses, serão exibidos nove títulos (um já foi). Todos, menos um, dirigidos por Miguel M. Delgado. Pertencente a uma geração que descobriu o cinema nos EUA, Delgado foi secretário de Gary Cooper nos anos 1930. Foi ator - de Fernando Fuentes no clássico Vámonos con Pancho Villa -, tornou-se diretor.

Sua extensa filmografia comporta nada menos de 137 filmes. Deles, 33 são comédias de Cantinflas. Delgado dirigiu praticamente todos os filmes do cômico, que coproduzia com ele na Posa Films.. O Circo, atração desta quinta, é exemplar. O filme de 1943 bebe na fonte de Charles Chaplin, justamente O Circo, de 1928.

Cantinflas faz sapateiro que, injustamente perseguido pela polícia, se refugia no circo. Descobre sua vocação de palhaço. No dia 22, passa O Engraxate, em que Cantinflas vira tutor do filho do amigo, que morreu. O garoto chama-se Chavito. Chavez é um nome que de repete nos filmes de Cantinflas. Não é nenhum exagero supor - não, afirmar - que a série tão amada dos mexicanos, e dos brasileiros, é um desdobramento do humor de Carlitos.

Ele fez dois filmes no cinema de Hollywood - A Volta ao Mundo em 80 Dias, de Michael Anderson, de 1956, ganhou o Oscar naquele ano - e encerra a programação, dia 27 de outubro. É uma pena que a programação não contemple Pepe, de 1960, em que Cantinflas contracena com meia Hollywood (Bing Crosby, Jack Lemmon, Maurice Chevalier, Zza Zza Gabor, Kim Novak, Judy Garland, Janet Leigh, Sammy Davis Jr., Greer Garson, Jimmy Durante, Bobby Darin etc).

George Sidney dirige - e Miguel M. Delgado tem um crédito de assistência. Era o homem de Cantinflas no set. E, ah, sim, ele ganhou o Globo de Ouro.

PROGRAMAÇÃO

Dia 1/9, às 20 horas

O Policial Desconhecido (El Gendarme Desconocido)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1941, 109.P&B. Comédia. Projeção digital.

Uma quadrilha de ladrões ameaça toda a cidade e até a polícia. Chato (Cantinflas), que entra em conflito com os bandidos, passa a ser um membro da força policial designado para missões especiais. Com Mario Moreno.

Dia 8/9, às 20 horas

O Circo (El Circo)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1943, 93. P&B. Comédia. Projeção digital.

Versão mexicana do filme O Circo de Charlie Chaplin. Cantinflas é um sapateiro que acaba entrando em um circo ao ser perseguido, por engano, pela polícia. Com Mario Moreno, Gloria Lynch, Eduardo Arozamena.

Dia 15/9, às 20 horas

Se Eu Fosse Deputado (Si Yo Fuera Diputado)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1952, 95. P&B. Comédia. Projeção digital.

Insatisfeitos com os políticos que nunca fazem nada para a melhoria do bem-estar comum, os moradores de uma pobre comunidade decidem apoiar a candidatura do barbeiro local (Cantinflas) para deputado.Com Mario Moreno, Gloria Mange, Andrés Solar.

Dia 22/9, às 20 horas

O Engraxate (El Bolero de Raquel)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1957, 101. Colorido. Comédia. Projeção digital.

Cantinflas é um engraxate que perde seu compadre, vítima de um acidente, deixando esposa e filho. A viúva de seu amigo não tem como sustentar o garoto, Chavito, e o deixa aos cuidados de Cantinflas que torna-se seu tutor. Com Mario Moreno, Flor Silvestre , Alberto Catalã.

Dia 29/9, às 20 horas

O Extra/O Figurante (El Extra)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1962, 110. Colorido. Comédia. Projeção digital.

Determinado a fazer sucesso no mundo do cinema, Rogacian aceita o papel de figurante em várias produções, nas quais tem de interpretar personagens tão variados como o amante de Marguerite Gauthier, um chefe índio, um dançarino ou um valentão do oeste. Com Mario Moreno.

Dia 6/10, às 20 horas

O Padre/O Padrezinho (El Padrecito)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1964, 130. Colorido. Comédia. Projeção digital.

Sebastián é enviado a uma cidadezinha do interior do México para ajudar o padre da paróquia, já velho e em tempos de se aposentar. Porém, é visto com maus olhos por todos, pelo seu jeito irreverente e pouco ortodoxo. Com Mario Moreno, Anjo Garasa, Angeline Fernandez.

Dia 13/10, às 20 horas

O Senhor Doutor (El Señor Doctor)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1965, 130. Colorido. Comédia. Projeção digital.

Médico aldeão decide ir para a capital para promover sua carreira. Lá ele encontra um mundo desconhecido, com raios-X, aparelhos de eletroencefalograma e muitas técnicas sofisticadas que vão lhe criar problemas, sem falar da exigente Dr. Villanueva. Com Mario Moreno, Miguel Angel, Marta Romero.

Dia 20/10, às 20 horas

O Pistoleiro Improvisado (Por Mis Pistolas)

Dir.: Miguel M. Delgado. MEX, 1968, 123. Colorido. Comédia. Projeção digital.

Fidencio viaja para o Arizona, para herdar uma mina de prata que pertenceu ao seu avô. No caminho é capturado pelos índios que querem sacrificá-lo. Por sorte, o chefe da tribo tem uma forte dor de dente e Fidencio resolve curá-lo. Com Mario Moreno o Cantinflas, Isela Veja, Quintin Bulnes.

Dia 27/10, às 20 horas

A Volta ao Mundo em 80 Dias (Around the World in Eighty Days)

Dir.: Michael Anderson. EUA, 1956, 167. Colorido. Aventura. Comédia. Projeção digital.

Em 1872, o nobre inglês Phileas Fogg aposta 20.000 libras, com seus colegas do Clube Reformatório de Londres, que consegue dar a volta ao mundo em 80 dias. Ao lado de Passepartout (Cantinflas), ele busca seu objetivo vivendo aventuras em todos os continentes. Com Mario Moreno, David Niven, Shirley MacLaine.

COMEDIANTES COMO OS DE ANTES: MOSTRA CANTINFLAS

Data: De 1º de setembro a 27 de outubro, às quintas-feiras, 20 horas

Local: Praça do Sesc Pinheiros - Rua Paes Leme, 195 - 11 3095-9400

Recomendação etária: Livre

Programação gratuita, sem retirada de ingressos

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7 horas às 22 horas; Sábado, domingo, feriado, das 10h às 19h. Taxas / veículos e motos: Matriculados no Sesc: R$ 7,50 nas três primeiras horas e R$ 1,50 a cada hora adicional. Não matriculados no Sesc: R$ 10,00 nas três primeiras horas e R$ 2,50 a cada hora adicional

Transporte Público: Metrô Faria Lima - 500m / Estação Pinheiros - 800m