27°
Máx
13°
Min

'Casa' de Bukowski no Brasil, L&PM o publica há 32 anos

Eles estão em todos os lugares: postos de gasolina, supermercados, bancas e, claro, livrarias. Há 32 anos editando a obra de Bukowski no Brasil, a L&PM já publicou 25 livros em diferentes edições e traduções, já tem novos títulos comprados e prontos e reedições planejadas. Uma delas é On Cats, publicado no fim de 2015 e que no Brasil deve se chamar Gatos - o trecho acima é inédito em português (traduzido por Rodrigo Breunig).

O editor e fundador da L&PM, Ivan Pinheiro Machado, disse que conheceu a obra de Charles Bukowski no exílio, em Roma, ainda adolescente. "Ele foi reconhecido primeiro na Europa, no fim dos anos 1970. Foi aquela coisa de gurizada, era o nosso suave exílio", conta.

Em 1984, já de volta ao Brasil, ele comprou e publicou dois volumes: Fabulário Geral do Delírio Cotidiano e Crônica de Um Amor Louco - e desenvolveu uma relação com o editor John Martin, da Black Sparrow Press. "É um cara de olhos grandes, óculos. Eu ia a Frankfurt, conversava com ele, muito engraçado", diz Machado. Martin praticamente bancou a vida profissional de Bukowski na literatura e, de acordo com Sounes, é um "anjo de pessoa" e foi um excelente editor. Hoje, com 86 anos, está aposentado.

Por aqui, Machado diz que Bukowski nunca foi um grande best-seller, mas "sempre vendeu bem". "A gente publica porque há uma devoção comovente do público dele. Ele renovou o público, apaixonadamente. A coleção de bolso ajudou nisso. Não há nenhum outro autor por tanto tempo na editora. Está no nosso DNA, nesses tempos em que as editoras perderam personalidade."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.