21°
Máx
17°
Min

Crianças de 22 escolas participaram do Encontro da Arte Folclórica

(Foto: Divulgação) - Crianças de 22 escolas participaram do Encontro da Arte Folclórica
(Foto: Divulgação)

A apresentação dos alunos das escolas municipais já é tradição no Encontro de Arte Folclórica promovido ano a ano pela Unicentro. Os estudantes sobem ao palco do Auditório Francisco Contini para mostrarem diferentes elementos folclóricos, como músicas, danças, lendas e teatro.

Segundo a agente universitária Elisabete Lustoza, que trabalha na Diretoria de Cultura da universidade, essa participação é a oportunidade para as escolas mostrarem o trabalho cultural que elas realizam. “Todas as escolas fazem pesquisas e já é a tradição deles também fazerem parte da programação do encontro da arte folclórica. Faz parte e é tradicional. Por isso, a gente sempre conta com a presença deles”, contou.

A Diretoria de Cultura convida as escolas através da Secretaria Municipal de Educação. Participam, como explica a assessora pedagógica da secretaria, Erondina Carvalho, os colégios que demonstrarem interesse. “Nós, enquanto secretaria, fazemos essa ponte com a escola; fizemos o convite e foi muito bem aceito. A resposta está aí, nas apresentações, na preparação e na preocupação de fazer algo bonito”.

Em três dias, alunos de 22 escolas subiram ao palco do Auditório Francisco Contini. Lendas conhecidas do folclore brasileiro e também de Guarapuava, foram apresentadas ao público. A Stephany de Oliveira, da Escola Municipal Professor Maack, foi umas das estudantes que participou das apresentações. “A gente fez uma lenda da Guaraci e do Curiaçu, é do pinheiro da araucária”, explicou.

Os alunos da Escola Municipal Carolina Franco apresentaram uma coreografia representando o folclore gaúcho. Para a supervisora da escola, Eliete Bueno, trazer os alunos para participar dessas apresentações, é uma maneira de inserir todos eles em um meio cultural. “Eu acredito que as pessoas precisam, realmente, ter essas apresentações culturais, para que possam fazer com que haja essa interação; para as crianças perceberem como é bonito a questão cultura da nossa cidade e do nosso estado”, sentenciou.

Outra escola envolvida foi a Domingos Sávio. E os estudantes estavam empolgados depois da apresentação. “Eu dancei com o lobisomem. Adorei”, comemorou Isabelli de Oliveira. E teve coro! Já que o Davi de Melo concordou: “Eu dancei bastante, dei o meu melhor e eu sempre quero estar aqui”.

Colaboração Assessoria de Imprensa.