24°
Máx
17°
Min

Estúdio Delírio recebe programação diversificada durante Festival de Curitiba

Memórias Póstumas + Machado de Assis (Foto: Chico Nogueira / Assessoria) - Estúdio Delírio recebe programação diversificada durante Festival de Curitiba
Memórias Póstumas + Machado de Assis (Foto: Chico Nogueira / Assessoria)

O recém-inaugurado Estúdio Delírio, administrado pelo Grupo Delírio Cia. de Teatro, vai apresentar uma extensa programação no Festival de Teatro deste ano. São diversas montagens do próprio grupo, sendo que algumas estreiam no evento, e ainda um espetáculo da Mostra Oficial, de São Paulo.

Cinco espetáculos são do grupo Delírio, sendo duas estreias. “Breve Temporada na Casa dos Loucos” é uma adaptação do conto “Enfermaria número 6”, do russo Anton Tchekhov. O espetáculo é uma pequena e bizarra história sobre os humanos. Não fala sobre a loucura e sim sobre os “normais” e as opções mesquinhas do dia a dia, as omissões, os medos e a ausência de paixão pela vida. Outra estreia é “Bonsai”, adaptação do romance homônimo do chileno Alejandro Zambra. Trata da história de amor entre Julio e Emília e também do fim deste amor.

Breve Temporada na Casa dos Loucos (Foto: Chico Nogueira / Assessoria)

Três espetáculos encenados recentemente em Curitiba, com boa repercussão de público, voltam em cartaz no Festival de Curitiba. Uma delas é “Paixões Desenfreadas”, em que três atores interpretam todos os personagens, femininos e masculinos, num espetáculo em que a palavra assume a cena e a atuação é a verdadeira razão do acontecimento teatral. Em “Se Eu Morresse Amanhã” o público verá um sujeito crente que pode tudo e que sabe da vida mais do que dele próprio. Porém, se depara com sua última noite e precisa convencer a Morte que lhe dê mais alguns dias ou algumas horas para consertar o que é impossível de ser consertado em tão pouco tempo.

Paixões Desenfreadas (Foto: Chico Nogueira / Assessoria)

Apropriação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, o espetáculo “Memórias Póstumas + Machado de Assis” conta a história de Brás Cubas que, morto, relata as próprias memórias. O grupo leva ao palco a liberalidade poética de Machado, munido da sua conhecida sutileza, ironia fina e humor negro.

Em “Fim de Jogo”, que integra a Mostra Oficial do Festival, o velho Hamm (Renato Borghi) está cego e paralítico. Seu parceiro Clov (Elcio Nogueira Seixas) tem uma estranha enfermidade que o impede de sentar-se. Junto deles, Nagg (Adriano Borghi) e Nell (Maria de Castro Borghi), pais de Hamm. Os personagens dividem um abrigo, refugiados de uma terra devastada. No jogo da sobrevivência, Hamm dá as ordens. A peça começa quando o jogo se aproxima do fim.

Se eu morresse amanhã (Foto: Chico Nogueira / Assessoria)

Outra opção é a peça “Primeiro de Abril”. Um casal convida o público a participar de sua vida, problematizando o mundo lá fora e sua própria relação. Por meio de suas paixões, angústias, tédio e conflitos os personagens se desnudam em cenas do cotidiano em que a intimidade aos poucos se transforma do microcosmo afetivo para a vida em sociedade.

A venda de ingressos é feita pelo site www.festivaldecuritiba.com.br e nas bilheterias oficiais do evento no Shopping Mueller, Palladium Shopping Center, ParkShoppingBarigüi e Pátio Batel.

Colaboração Assessoria de Imprensa.