24°
Máx
17°
Min

'Fiquei com medo que ele me aplaudisse, diz Renato Aragão sobre estar na mão do Cristo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em 1991, Renato Aragão criou um plano ambicioso: queria subir o Cristo Redentor, no Rio, para agradecer o sucesso que teve em sua carreira, principalmente como o personagem Didi, de Os Trapalhões.

Em julho daquele ano, o humorista saiu de dentro do monumento e foi até a mão direita do Cristo para beijá-la. Quem acompanhou a escalada viu que o momento mais complicado foi quando precisou voltar da mão, de costas, para o resto da estátua.

Mas qual foi o maior medo? "Quando eu cheguei na mão, fiquei com medo que o Homem me aplaudisse", brincou o ator na abertura da Comic Con Experience, evento de cultura geek, nesta quinta-feira (1º) em São Paulo.

"Depois que pisei no solo, fiquei dois dias em êxtase. Não fiz aquilo para me mostrar nem para divulgar nada. Fiz de coração", acrescentou.

Em 1991, Didi também se tornou embaixador da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) no Brasil, o primeiro no país.

Quem veio para a cerimônia foi o ator britânico Roger Moore, que ficou conhecido por interpretar o espião 007 nos cinemas e era embaixador mundial da Unicef.

Depois da cerimônia no Rio, Aragão e Moore foram para o Ceará, Estado de nascimento do humorista brasileiro.

"Ele foi na frente e ficava falando 'Bond, James Bond'", disse Aragão sobre a frase característica do personagem. "Aí eu comecei a falar que eu era Mocó, Didi Mocó. O Roger Moore perguntava o que era essa besteira que eu estava falando, mas não adiantava traduzir e explicar para ele", lembrou.

Na Comic Con, Renato Aragão também confirmou que Os Trapalhões vai voltar à TV, mas ainda sem data definida, com seis integrantes, incluindo ele é Dedé Santana.