22°
Máx
14°
Min

Ibram avalia danos do tornado nas Missões

O tornado que passou por São Miguel das Missões na noite de domingo, 24, destruiu o Museu das Missões projetado pelo arquiteto Lúcio Costa nos anos 1930. Às 19 horas desse dia, o voluntário que abre e fecha as portas da instituição abrigou-se no interior do museu e testemunhou uma cena apocalíptica, com peças sacras missioneiras voando e o telhado sendo derrubado pela forte rajada de vento que passou pela cidade no noroeste do Rio Grande do Sul. Ontem, o presidente do Ibram - Instituto Brasileiro dos Museus, Carlos Roberto Brandão, esteve no local para fazer um levantamento preliminar dos prejuízos causados pela passagem do tornado e tomar as providências para abrigar o acervo, que chega a quase a um quinto das peças missioneiras catalogadas (500).

A passagem do tornado destelhou 70 casas do município e um hospital, atingindo cidades próximas como Rincão dos Moraes, onde uma casa foi arrancada do solo e um carro voou para o campo com a força do fenômeno. Em Missões, o museu teve suas paredes de alvenaria derrubadas e as paredes de vidro quebradas. Os estilhaços atingiram algumas peças do acervo, que está parcialmente abrigado na casa antes ocupada pelo zelador do local. As peças maiores, segundo o presidente do Ibram, foram levadas para um hotel da cidade temporariamente.

"Estamos providenciando o restauro das peças atingidas e vamos montar um laboratório para que os restauradores possam trabalhar", garantiu Brandão, que deve pedir à Casa Civil da Presidência da República uma verba emergencial para as obras de recuperação do museu e restauro das peças. "Os danos foram grandes, pois os estilhaços penetraram nas peças de madeira, 83 imagens missioneiras", contou ao Estado o presidente do Ibram.

Brandão esteve reunido com o ministro da Cultura, Juca Ferreira, que, segundo ele, ficou "sensibilizado" com a situação do museu. "O tornado revelou que as esquadrias estavam enferrujadas e que será preciso providenciar sua substituição, além das telhas coloniais destruídas com a passagem do tornado."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.