24°
Máx
17°
Min

IV Mateada Farroupilha da UTFPR terá atrações culturais

Evento terá galpão crioulo e diversas atrações culturais além do já tradicional chimarrão (Foto: Divulgação) - IV Mateada Farroupilha da UTFPR terá atrações culturais
Evento terá galpão crioulo e diversas atrações culturais além do já tradicional chimarrão (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de difundir a cultura gaúcha no âmbito da Instituição, nos dias 19 e 20 de setembro, será realizada, no campus Pato Branco da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) a IV Mateada Farroupilha.

O evento acontece durante a Semana Farroupilha e é aberto à participação de alunos, servidores e a comunidade em geral. A Mateada será realizada no pátio coberto, entre os blocos M e N, nos horários de intervalo nos turnos da manhã e da tarde.

A abertura do evento contou com a presença do diretor-geral, professor Idemir Citadin e, na sequência, a declamação “As vistas do coração”, por Valéria Trevisan e Lucas Baggio; Laço, com Isadora Pscheidt e salão livre para dança. No intervalo da tarde, a partir das 15h20, está prevista declamação e apresentação de Chula com o aluno Caio Cezar Pichetti.

Na programação de terça-feira (20), será ministrada uma oficina sobre técnicas do mate, com o Diretor de Relações Empresariais e Comunitárias (DIREC), professor Neri Vargas e às 15h20min, apresentação do CTG Amizade Sem Fronteira, de São Lourenço do Oeste (SC).

Galpão Crioulo

Outro destaque da IV Mateada será a infraestrutura do local do evento, que contará com a fachada de um Galpão Crioulo, construído em bambu. Coordenado pelo professor Fabiano Ostapiv, do departamento de Mecânica do Campus Pato Branco, o projeto de extensão agrega a participação de outros cursos e faculdades. São 12 alunos do curso de Arquitetura da Faculdade Mater Dei, sob a orientação do professor Bruno Soares Martins; 15 alunos do curso de Engenharia Mecânica e quatro alunos de Engenharia Civil, orientados pelo professor José Ilo Pereira.

“Projetar e construir o Galpão Crioulo em bambu, de maneira interdisciplinar é um desafio. A cada edição pretendemos mostrar diferentes técnicas construtivas usando este material tão interessante. No ano passado foram usados bambu e embalagens pet, neste ano projetamos o galpão com elementos modulares de bambu e madeira. Como o material é pouco conhecido pela comunidade, é importante mostrar alguns exemplos práticos de seu uso”, comenta Ostapiv.

As amostras de bambu colhidas e utilizadas para a execução do projeto são provenientes de área do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), que gentilmente cedeu os bambus para a construção do galpão e outros artefatos.

Além do aspecto pedagógico de projetar e construir com bambu, o uso do bambu na construção civil permite reduzir o uso de materiais mais agressivos ao meio ambiente, além de agregar valor e beleza à edificação arquitetônica.

Colaboração Assessoria de Imprensa.