21°
Máx
17°
Min

'Muita gente cursa química por nossa causa', diz Iberê do 'Manual do Mundo'

Você já colocou um ovo dentro de uma garrafa? Congelou água em apenas um segundo? Sabe como fazer um pau de selfie com grampos e tubos de PVC, ou um microscópio utilizando uma webcam? Caso tenha ficado curioso, basta acessar o canal Manual do Mundo, que, em mais de mil vídeos, mostra experiências, receitas, mágicas, pegadinhas e desafios dos mais variados tipos, e o melhor: quase tudo pode ser feito em casa.

"O grande diferencial é que tentamos juntar as duas coisas: ensinamos a fazer, e também damos uma aulinha de como funciona", explica Iberê Thenório, que criou o canal junto de sua esposa, Mariana Fulfaro, há oito anos.

A abordagem didática, bem-humorada e informativa faz com que os vídeos já somem quase 1 bilhão de visualizações totais, e que os quase 6 milhões de inscritos sejam de todas as idades: "O público mais engajado tem entre 10 e 14 anos, mas em questão de número, há mais adultos do que jovens", disse.

O canal também é bastante utilizado por professores, que muitas vezes não possuem estrutura para demonstrar na prática conceitos físicos ou químicos que são abordados nas experiências do canal. Desta forma, Iberê conta que também se considera um educador, e revela: "chegam muitos relatos para nós de gente que resolveu fazer faculdade de química, física ou engenharia por causa do Manual do Mundo".

Comparado ao personagem central do programa O Mundo de Beakman, o Youtuber acredita que seu conteúdo seja mais parecido com X-Tudo, outro infantil dos anos 1990. Ele inclusive chegou a ter um programa na TV paga alguns anos atrás, mas não pretende trocar o YouTube por nada.

"A TV é engessada, e a liberdade é absurdamente menor. Achei legal por ser uma coisa muito maior do que estava acostumado, mas nossa prioridade é o YouTube. A televisão não faz muita diferença pra gente em termos de audiência", disse.

"Nossa grande sacada foi perceber que o YouTube iria revolucionar a maneira de aprender e de ensinar. Começamos com vídeos de brincadeiras e truques, o tipo de coisa que se ensina para os amigos", relata sobre o início do canal.

Apesar de se conhecerem em São Paulo, Iberê e Mariana vieram de Piedade, cidade de 50 mil habitantes no interior do Estado, e sempre estranharam que os paulistanos não sabiam fazer coisas básicas, como trocar uma lâmpada. "Aqui fura um pneu e o pessoal chama o seguro. No interior não é assim, eu já sabia trocar um com sete anos de idade", contou. Desta forma, decidiram começar a postar vídeos na internet.

"Era uma experiência. Se desse certo, a gente poderia trabalhar com isso, mas nunca imaginamos que iríamos montar uma produtora", comenta o apresentador sobre a proporção que as coisas tomaram, hoje com duas casas alugadas para o canal, que emprega nove funcionários fixos, fora outros profissionais esporádicos, como um professor de física ou uma fonoaudióloga que ajudam na elaboração dos vídeos.

Os empreendimentos não param por aí: Após 50 Experimentos Para Fazer Em Casa, um novo livro está a caminho, e deve abordar experimentos na cozinha, além de curiosidades sobre o funcionamento de utensílios como o microondas e a panela de pressão - e a origem de alguns ingredientes.

Iberê também trabalha em um projeto de pôsteres sobre ciência e tecnologia: "Contratei um designer e um astrônomo, quero que seja o melhor pôster de sistema solar que já houve". O material deve ser vendido na loja recém-aberta pelo casal, chamada A Experiência.