20°
Máx
14°
Min

Pai da Aviação terá um museu na fronteira

Foto: Assessoria de imprensa - Pai da Aviação terá um museu na fronteira
Foto: Assessoria de imprensa

Exatamente no dia em que se comemora o centenário da passagem de Alberto Santos Dumont por Foz do Iguaçu, foi lançada a proposta de criação de um museu que lembre este fato histórico.

A ideia é que o Museu Santos Dumont seja instalado no terreno do Grêmio Recreativo e Social de Foz do Iguaçu – Gresfi -, que ocupa as instalações do primeiro aeroporto da cidade.

Em solenidade que reuniu a diretoria do Gresfi e representantes da Gestão Integrada do Turismo, neste sábado (23), foi também lançado o livro “A virada do século – Nas asas da história”, do jornalista Chico Alencar, que resgata a visita de Santos Dumont e destaca sua participação decisiva para a desapropriação da área das Cataratas do Iguaçu, então pertencentes a um particular, para a criação de um parque.

História de Foz

Além do Museu Santos Dumont – “ideia que já vem sendo acalentada há muito tempo” -, a proposta apresentada pelo superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, prevê também a criação de um museu que registre a história do primeiro aeroporto e também resgate aspectos da história do município.

Uma das primeiras tarefas será conseguir que a sede do Gresfi, construída em 1941, seja tombada como patrimônio histórico, primeiro pelo município e depois por outras instâncias. A área total do Gresfi, incluindo a ocupada por uma concessionária, é de cerca de 17 mil metros quadrados, dos quais mais de 3.500m² são construídos.

O projeto será detalhado pelo Fundo Iguaçu, mas Piolla adiantou que o Museu Santos Dumont, em prédio que será construído, deverá ter réplicas das invenções do “Pai da Aviação”, como o 14 Bis e o Demoiselle, enquanto a atual sede do Gresfi será o museu da cidade, com espaço para exposições. Haverá, ainda, ambientes tematizados, como um bar ou restaurante dentro de uma aeronave antiga, entre outras ideias.

Apoio

“O projeto é um anseio da família militar e da sociedade iguaçuense”, disse o presidente do Gresfi, Élio Simonetto, lembrando que as diretorias anteriores já sonhavam com a criação de um museu. Em 2001, a proposta de criar um espaço de preservação histórica no Gresfi chegou a ser documentada, com assinatura de autoridades e de representantes do setor turístico, mas não se concretizou.

O presidente do Iguassu Convention & Visitors Bureau, Altino Voltolini, disse que, quando concretizado, o projeto criará mais um atrativo turístico, capaz de garantir mais tempo de permanência de visitantes. Carlos Silva, presidente do Fundo Iguaçu e do Sindhotéis, afirmou que o novo espaço “vai contribuir para manter o turista pelo menos por mais um dia” no destino.

O livro

A propósito do livreto “A virada do século – Nas asas da história”, Chico de Alencar disse que se baseia na entrevista da pioneira Elfrida Engel Rios, testemunha da visita de Santos Dumont. O inventor ficou hospedado no primeiro hotel da cidade, que pertencia ao pai dela, Engel.

“Só tive o trabalho de transcrever a entrevista de Elfrida”, disse Chico, feita em 1979, quando ela, aos 79 anos, ainda atendia os fregueses de sua loja, a Casa Jacy. A entrevista foi publicada pela primeira vez naquele ano no “Guia de Turismo de Foz do Iguaçu”, a primeira publicação do gênero, na cidade.

Colaboração: Assessoria de imprensa