23°
Máx
12°
Min

Quatro atrações iniciam a semana no FILO

A segunda semana do FILO começa agitada. Nesta segunda feira (5), quatro peças estão confirmadas na programação do festival:

#Mergulho – Experiência teatral para crianças

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Voltado especialmente para crianças de 1 a 6 anos, o espetáculo conta a história de duas pessoas que vivem em universos diferentes e que buscam se encontrar com a ajuda da plateia. Ele está na terra e, ela, no mar. A proposta é convidar as crianças à participação e transformar os pequenos espectadores em figuras ativas do espetáculo, num espaço de mediação entre limites e liberdade.

A montagem utiliza como ferramenta técnica a projeção digital atrelada ao som, um meio que viabiliza uma linguagem sensorial e imagética e que permite uma série de possibilidades de interação entre cena e plateia, entre imagem e os sentidos do espectador. Desde sua fundação, o coletivo Eranos – Círculo de Arte aposta na multidisciplinariedade, com incursões em poesia, artes visuais, vídeo e teatro. Também pesquisa processos criativos, linguagem onírica e mitologia.

Horário: 19:00

Local: Biblioteca Pública Municipal (Av. Rio de Janeiro, 413)

Tropeço

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Sobre uma mesa, com baús e alguns pequenos objetos, cria-se um mundo no qual dois atores-manipuladores e suas mãos dão vida às personagens: duas velhas que moram juntas. Partindo da costumeira visão que se tem da velhice, o espetáculo mostra a solidão e as pequenas ações rotineiras das duas. Porém, cria-se um universo de sutileza e extravagância, poesia e comicidade, em mãos que andam, dançam, bebem, respiram, riem e choram.

Fruto de uma pesquisa de dramaturgia física, “Tropeço” mostra a fragmentação de parte do corpo, que ganha personalidade com o movimento. Essa linguagem é a junção dos trabalhos corporais desenvolvidos pelos integrantes da Tato Criação Cênica desde sua formação, em 2004.Toda a estrutura cênica do espetáculo foi concebida com simplicidade, de modo a valorizar os movimentos das personagens, que se comunicam por meio de ações e onomatopeias, sem a utilização de palavras.

Horário: 19:00

Local: Teatro Zaqueu de Melo (Av. Rio de Janeiro, 413)

O Que Você Gostaria que Ficasse

(foto: divulgação)(foto: divulgação) 

Um híbrido de happening e encenação, criado a partir de discussões sobre o livro “O Mundo Sem Nós”, de Alan Weisman. O autor constrói nessa obra uma espécie de retrospectiva inversa, em que é possível acompanhar um processo de desaparecimento gradual, mas implacável, de qualquer resquício de nossa existência. Em menos de 200 anos já não há sinal de qualquer expressão artística. Muito pouco tempo se passa até que já não haja qualquer sinal de nossa curta existência como espécie. Num misto de confronto e celebração das sensações, chega-se a uma pergunta-espetáculo: “Se pudéssemos depositar algo do humano numa cápsula que resistisse ao tempo, algo que pudesse ficar preservado e, quem sabe um dia, ser reexperimentado por outros seres no futuro, o que você gostaria que ficasse?”

Horário: 20:00

Local: Divisão de Artes Cênicas/ Casa de Cultura UEL (Av. Celso Garcia Cid, 205)

Ontem à noite caía o sol

(foto: divulgação)(foto: divulgação)

Ana mora com Iuri em um pequeno apartamento de uma cidade grande brasileira, no início dos anos 2000. Ela vive atrás de arquivos, impulsionada por um desejo de memória. Ana investiga o passado de sua mãe, militante política na ditadura brasileira. Iuri assiste à trajetória de Ana, mas não imagina que esses vestígios entrecruzam seu passado. Uma viagem inicia-se pela Transiberiana. Os personagens percorrem seus caminhos, seus sonhos e a história.

A peça foi escrita por pela atriz e diretora Mariana Corale em 2015 e encenada em 2016, durante as atividades do Núcleo de Dramaturgia do SESI Londrina, um espaço de criação textual e de encenação coordenado pelo dramaturgo Maurício Arruda Mendonça. Mariana Corale também sobe ao palco no papel de Ana, ao lado do ator Ricardo Bagge, como Iuri.

Horário: 20:00

Local: Centro Cultural SESI (Praça Primeiro de Maio, 130)