27°
Máx
13°
Min

Plantão Sorriso comemora 20 anos de existência

(foto: Bruno Ferraro/ Divulgação)  - Plantão Sorriso comemora 20 anos de existência
(foto: Bruno Ferraro/ Divulgação)

O Plantão Sorriso, organização que leva a alegria do palhaço para crianças internadas em hospitais de Londrina e região comemora em 2016, 20 anos de atividade. Criado em Londrina em 1996, o Plantão Sorriso está presente nos seguintes hospitais: Hospital Universitário (HU), Hospital Evangélico, Hospital Anísio Figueiredo (Zona Norte), Instituto de Saúde do Paraná (Zona Sul), Hospital Infantil, Hospital do Câncer de Londrina e Hospital Cristo Rei em Ibiporã.

Em 1998, a sua atuação foi reconhecida pela Câmara de Vereadores de Londrina e pela Assembléia Legislativa do Paraná, que lhes concedeu os títulos de Utilidade Pública Municipal e Estadual. Em 2015 o Plantão Sorriso foi o primeiro projeto cultural a receber a Medalha Ouro Verde da Câmara Municipal, em reconhecimento ao trabalho realizado.

Nestas duas décadas de atuação, o trabalho do Plantão Sorriso contabiliza 470 mil atendimentos bem humorados junto a crianças enfermas. Para garantir a continuidade do trabalho e a excelência na qualidade dos atendimentos, o Plantão Sorriso contrata e treina atores para a atuação e para isso. 

A atual equipe do Plantão Sorriso é composta pelos atores Aneliza Paiva, Gerson Bernardes, André Demarchi, Tiago Marques, Juliana Galante e Tonho Costa. “O Plantão Sorriso é o primeiro grupo do sul do Brasil a realizar essa atividade. Toda semana e em dias agendados, estamos presentes nos hospitais. Acredito que o nosso desafio para os próximos 20 anos é manter a qualidade e aperfeiçoar o trabalho”, avalia a presidente da organização, Emilia Miyazaki.

Novos olhares

Para comemorar seu aniversário, o Plantão Sorriso volta-se para o ambiente onde atua e, em parceria com a Unimed Londrina, está realizando um workshop sobre humanização com profissionais de dois hospitais de Londrina. “O curso usa a nossa experiência como palhaços de hospital para despertar um novo olhar junto aos profissionais de saúde. Vivenciar e refletir sobre a humanização, sob a ótica do palhaço”, explicam os coordenadores do projeto Aneliza Paiva e Gerson Bernardes.

(com assessoria de imprensa)