23°
Máx
12°
Min

Alcione relembra clássicos do bolero

(Foto: Divulgação) - Alcione relembra clássicos do bolero
(Foto: Divulgação)

Não importa se é no ritmo marcado por tamborins do samba ou se é na levada suave dos boleros, Alcione continua sendo uma romântica. A cantora maranhense acaba de chegar a São Paulo para apresentar neste sábado, 10, o show de sua turnê Alcione Boleros, no Citibank Hall. No espetáculo, Alcione promete um desfile de clássicos do ritmo latino, como Que Queres Tu de Mim e Gracias a la Vida, além de marcos de sua carreira que a ajudaram a compor seu repertório com tons cada vez mais diversos.

Cantar boleros não é novidade para Alcione. Há 45 anos, quando ela começou sua carreira em boates nas noites cariocas, a maranhense já se aventurava nas melodias densas do ritmo latino, cantando sucessos de músicos como Ary Barroso, Ângela Maria, Mercedes Sosa e Cauby Peixoto - cantor e amigo para quem ela espera fazer uma homenagem com este seu novo espetáculo, já que ele "amava e cantava esse ritmo como ninguém".

"O Alcione Boleros não é uma ideia nova. Faz três anos que estou tentando fazer essa turnê de shows", conta Alcione por telefone ao Estado. "Agora estamos conseguindo levar essas pérolas da música por aí, para as pessoas conhecerem e, principalmente, relembrarem esses sucessos."

Rodando o Brasil com seus boleros desde maio, esta é a primeira vez que Alcione mostra as suas interpretações do ritmo em São Paulo. Depois daqui, a cantora já vai se preparar, após um jejum de três anos, para a gravação do seu novo CD e DVD Alcione Boleros, no próximo dia 17, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. "O DVD vai ter só boleros. Mas no meu show vai ter de tudo, todos os meus sucessos", explica a cantora. "Afinal, não dá para ignorar meus 45 anos de carreira."

Segundo ela, quando entra nos palcos, não importa se está cantando Sufoco ou alguma de suas outras músicas latinas, o público a acompanha em coro. "Fiquei impressionada", afirma Alcione, ao falar sobre a receptividade do público com seu show. "Todos cantam os boleros comigo, sem parar. Ninguém esqueceu das letras. É lindo de se ver como a memória musical ainda está preservada nas pessoas."

Coração tropical

Ao ser questionada sobre as músicas que farão parte do seu repertório de boleros, Alcione não tarda a cantar trechos de algumas canções para mostrar o poder que sua voz injeta nas músicas latinas. "Meu coração tropical / Está coberto de neve", cantarola Alcione, quando diz que Corsário, de composição de João Bosco, é um dos pontos altos de sua interpretação no espetáculo.

"Eu amo samba, salsa. Mas o bolero tem um grande ponto positivo que é o espaço que ele dá para as pessoas entrarem na letra, no romantismo todo do ritmo", explica Alcione. "O romance, dentro do samba-canção e dos boleros, pega a pessoa. Não tem como escapar."

Apesar de entoar os versos de João Bosco com entusiasmo, a cantora, ao contrário da música, afirma que não está com seu coração tropical coberto de neve. "Quero fazer um show romântico do começo ao fim. Afinal, quem não é romântico nessa vida?", acrescenta.

ALCIONE BOLEROS

Citibank Hall. Av. das Nações Unidas, 17.955, Vila Almeida, tel.: 4003-5588. Sáb. (10), às 22h30. R$ 80 a R$ 200.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.