23°
Máx
12°
Min

Confira a entrevista com The Beetles, considerada uma das melhores bandas covers do mundo

Entrevista com The Beetles: uma das melhores bandas covers do mundo

A página oficial do Beatles no Facebook tem mais de 42 milhões de curtidas. A banda britânica, que se desfez em 1970, ainda carrega uma legião de fãs em todos os cantos do mundo. Na noite desta quarta-feira (8), os curitibanos tiveram a oportunidade de experimentar a sensação de estar em um show dos garotos de Liverpool.

Pelos menos, essa era a intenção da banda The Beetles, considerada um dos melhores covers do grupo britânico no mundo por nada mais, nada menos que o próprio Paul McCartney.  Formada pelos argentinos Francisco Desalvo (John Lennon), Nino Zalazar (Paul McCartney), Marcos Gonzatto (George Harrison) e Jackson Bendik (Ringo Star), a banda se apresentou no Teatro Bom Jesus, que estava praticamente lotado, com mais de 500 ingressos vendidos, dos 600 disponíveis.

Com uma performance temática, o grupo cover propõe não apenas uma imersão musical, mas sim sensorial sobre a trajetória de uma das bandas mais icônicas na história da música mundial. Roupas, guitarras, bateria e o cenário são construídos para que a plateia se sinta realmente em um show dos Beatles.

Abaixo, você confere uma entrevista exclusiva com Francisco Desalvo, que interpreta John Lennon e Nino Zalavar, responsável por dar voz a Paul McCartney no grupo. Eles falam sobre a origem da banda, a trajetória até aqui, o inesquecível encontro com McCartney e os planos para o futuro. Confira:

Como aconteceu o nascimento da banda?

Francisco: A gente se conhece desde os 15 anos. Tocávamos em bandas separadas, já fazendo cover dos Beatles, mas nada profissional. Começamos a ganhar alguns prêmios e nos destacar como John e Paul. Em 2008, a vida se encarregou de cruzar os nossos caminhos novamente e decidimos iniciar o projeto “The Beetles”. Em 2009, começamos a fazer shows.

Vocês são considerados uma das melhores bandas covers do Beatles no mundo. Como vocês acham que chegaram a esse patamar.

Nino: Na verdade, isso quem fala é a imprensa. Acho que pelos diversos prêmios que a gente recebeu e, principalmente, pelo que Paul McCartney falou.

Como aconteceu esse encontro?

Nino: Tivemos a sorte de encontrar ele em um show, em Porto Alegre, no ano de 2010. Pedimos para ele autografar uma camisa nossa da seleção Argentina e ainda entregamos um CD com as músicas que estávamos gravando. Ele escutou e pouco depois, o produtor dele mandou falar para nós que o Paul estava mandando parabéns. Falou que era uma das melhores bandas covers que ele já ouviu. E o que ele mais gostou foi a qualidade vocal. Ele achou parecido nos timbres. Então, ter os parabéns de Paul, além dos prêmios que a gente já recebeu, foi demais.

Mas, mesmo assim, quando a imprensa fala que somos a melhor banda cover do mundo...eu não acho que tenha uma melhor banda do mundo. Mas a imprensa nos chama assim e ficamos agradecidos pelo reconhecimento.

Como é a rotina de shows de vocês? Onde costumam tocar?

Francisco: 90% dos nossos shows são no Brasil. O The Beetles foi um produto montado para fazer show no Brasil. Mas já tocamos fora, como na Argentina, no Paraguai, no Chile, Uruguai, mas nosso foco é o Brasil.

Nino: Em Curitiba, não é o nosso primeiro show. Tocamos aqui, pela primeira vez, em 2010. Mas é a primeira oportunidade que temos para tocar em um teatro. Antes, a gente costumava tocar em pubs, aqui em Curitiba. Mas agora, graças à parceria com a Base (produtora), conseguimos emplacar o teatro, que estava praticamente lotado.

Isso é muito bom, porque conseguimos fazer um show mais completo. Não que nos pubs seja precário, mas acaba tendo menos músicas, menos performance e aqui no teatro a gente é livre para fazer algo bem completo.

Francisco: A nossa ideia é criar um museu que vai andar pelas cidades. Todos os objetos que usamos são de coleção. A bateria é de 1966, ano em que os Beatles ainda estavam tocando. Nossas roupas, nossa atuação, tudo é proposto para ser uma experiência única.

E o público curitibano?

Francisco: Considero o público curitibanos bastante observador. Eles estão atentos aos detalhes.

Nino: Eles são formadores de opinião, né?

Francisco: Sim, você não consegue enganar o curitibano. Se fizer algo errado, provavelmente o curitibano vai perceber. Em outras cidades, isso não acontece tanto.

Nino: Mas em Curitiba, sempre que tocamos, sempre fomos bem recebidos. A galera curte demais, temos muitos curitibanos que curtiram nossa fanpage no Facebook. Então, aqui a gente sempre vai encontrar com amigos, com muitas pessoas lindas e para nós é um prazer voltar a esta lindíssima cidade.

Projetos futuros

Nino: Sempre queremos dar um passo maior. Então, a nossa ideia é continuar tocando em teatros.

Francisco: A parceria com a Base foi muito importante porque eles organizam nossos shows e estão nos levando aos teatros. Somos muito gratos e queremos continuar desenvolvendo novos projetos. Acredito que o The Beetles tem ainda uma certa quantidade de coisas para fazer. Temos que continuar nos reinventando, com o repertório que eles (Beatles) nos deixaram.

Nino: Mas, como ideia, queremos trazer novos projetos para 2017...

Francisco: E para o ano que vem, já falei para o nosso produtor que queremos tocar na Arena do Grêmio.

Nino: Os gaúchos gostam muito dos Beatles. O nosso sonho é levar o espetáculo a uma Arena. Afinal, um cover nunca chegou a uma arena, a um estádio de futebol.

Francisco: Nem que seja no intervalo de um jogo...


Contato para shows:

Telefones: (47) 9660-9833 ou (49) 9920-2631

E-mail: fran_lennon@hotmail.com