28°
Máx
17°
Min

Dia do Samba em Londrina celebra o centenário do gênero

Cem anos de música, em uma noite de festa: a comemoração do Dia do Samba, que já se tornou uma tradição na cidade, este ano convida o público para um passeio pelo centenário deste gênero brasileiro, no show que será promovido dia 02 de dezembro, às 21h, no Bar Valentino. O projeto é beneficente, com bilheteria integralmente revertida para a Casa de Apoio Madre Leônia, que acolhe pacientes em tratamento contra o câncer.

O evento conta com mais de 50 músicos voluntários, em uma grande confraternização que marcará as transformações de toda uma cultura desde o registro do primeiro samba gravado, “Pelo Telefone”. Composição oficialmente atribuída a Donga e Mauro de Almeida, a canção foi captada nos estúdios da lendária gravadora Casa Edison, em novembro de 1916, e lançada pelo selo Odeon em janeiro de 1917. De lá pra cá, pode-se dizer que o relacionamento do samba com o mercado fonográfico já passou por altos e baixos, mas é verdade também que ele nunca deixou de existir.

Sobre o roteiro da celebração em Londrina, a pesquisadora Juliana Barbosa conta que a ideia é recuperar essa trajetória por meio da própria música: “A gravação de ‘Pelo Telefone’ é um marco histórico, então a partir dele teremos o percurso do samba contado pelas canções, década por década”, define.

O repertório será costurado por intervenções dos cantores Camila Taari e Caco Piacenti, que atualmente circulam com um projeto em homenagem a Dalva de Oliveira e Herivelto Martins, figuras emblemáticas da Era de Ouro do rádio. Já o acompanhamento dos intérpretes convidados fica a cargo do grupo Filhos de Bamba - formado por uma nova geração do Samba da Padaria, roda musical realizada semanalmente na Vila Brasil - com a participação de músicos do grupo Benedito Fala Torto. Além da pesquisadora Juliana Barbosa, a produção tem a colaboração da jornalista Rakelly Calliari e da música Bethânia Paranzini.

DIA DO SAMBA

A efeméride é reconhecida pelo poder público em Santos, Salvador e no Rio de Janeiro. Em terras londrinenses, passou a ser comemorada em 2004, por iniciativa do músico Wilson Soler e do grupo Sambelê. O evento vem ganhando novas parcerias a cada edição, sem deixar de lado o caráter de confraternização e solidariedade.

CASA DE APOIO

Localizada a cinco quadras do Hospital do Câncer, na Rua Coração de Maria, a Casa de Apoio Madre Leônia acolhe gratuitamente famílias de pacientes em tratamento contra a doença em Londrina. A instituição atende cerca de 230 pessoas ao mês, totalizando uma média de 550 hospedagens com refeição, além de 800 refeições mensais servidas a familiares que retornam para pernoite a seus municípios de origem. Mais informações em www.facebook.com/casadeapoiomadreleonia.

Serviço

Dia do Samba – 02/12/2016 (sexta-feira)

Início às 21h, no Bar Valentino. Entrada: R$10.

(com assessoria de imprensa)