27°
Máx
13°
Min

Fernanda Takai dá voz e vida a 'Alice'

Foto: Divulgação - Fernanda Takai dá voz e vida a 'Alice'
Foto: Divulgação

Prestes a completar seus 45 anos, Fernanda Takai mostra que está cheia de energia e com inúmeros projetos em andamento, tanto em parceria com seu grupo Pato Fu, com o qual se apresenta na quarta-feira, 3, no Teatro Bradesco, em São Paulo, quanto em trabalhos solos ou em outros segmentos. No show na capital paulista, eles mostram o repertório do décimo disco de estúdio, Não Pare Para Pensar.

Mãe de uma garotinha de 13 anos, a vocalista se desdobra entre cantar, compor e atuar, além de escrever. Neste momento, além de viajar com o Pato Fu, ela participa de um projeto com o Grupo Giramundo, o Alice Live. Sim, Fernanda tem dado voz e corpo à personagem criada por Lewis Carroll, por enquanto somente em Minas Gerais, mas com intenção de rodar por outras cidades brasileiras.

"A gente vai sair em turnê com Alice, sim, essa é uma ideia que estamos amadurecendo há algum tempo, desde a época que trabalhávamos no projeto Música de Brinquedo", conta Fernanda, que se mostra empolgada em viver essa personagem e participar com o Pato Fu nas apresentações da peça junto com os bonecos do Grupo Giramundo.

Ela explica que, no início desse trabalho, a ideia era somente fazer a trilha sonora. "Eu e o John (Ulhoa, marido dela) fizemos as músicas, que são inéditas, e, a princípio, eu faria a voz da Alice e aí o Giramundo sairia em turnês com essas composições gravadas. Mas claro que tinha o devaneio de a gente fazer ao vivo, com o Pato Fu tocando a trilha inteira junto com os atores, no mesmo palco", conta Fernanda, que se realizou ao poder estar no palco junto com o Giramundo, tocando e fazendo e as falas ao vivo.

Mas nem tudo é simples - claro que o fato de ser um espetáculo para o público infantil não quer dizer que seja algo simples. "Esse formato é extremamente complexo, talvez a coisa mais difícil que a gente tenha feito. Colocar a banda no palco, junto com os marionetistas e a trupe toda do Giramundo", se admira com o feito. Afinal, são 22 pessoas viajando, cerca de 50 bonecos se revezando durante a peça e a banda tocando em um plano mais elevado do palco.

"É bem interessante, eu fico lá em cima junto com o Pato Fu, cantando e falando, mas, em alguns momentos, desço e me confundo com os bonecos, que têm escalas diferentes de Alices, desde uma de 25 cm, outra de 1,40 m e até uma gigante, mas que é só da cintura para cima, que se fosse viva teria uns 6 metros de altura", explica a cantora, que diz contar com sua experiência em videoclipes, que a fez agir um pouco assim como atriz.

Além disso, como Alice Live é um espetáculo dirigido a um público mais jovem, Fernanda e o Pato Fu colocam em cena um pouco do que fizeram com o Música de Brinquedo. "As montagens do Giramundo, apesar de o grupo ter essa tradição do teatro de bonecos, geralmente são direcionadas mais ao público infantojuvenil para cima, este é para um público a partir de 8 anos", conta Fernanda.

Traçando uma comparação, a cantora e atriz diz que "o espetáculo Música de Brinquedo interagia muito com a plateia, chamando as pessoas para brincar, aplaudir, participar. Já a peça Alice Live pode ser vista como uma peça de teatro de bonecos com a participação de atores, tendo uma banda tocando ao vivo ou uma banda tocando ao vivo usando teatro de bonecos", teoriza Takai.

Alice Live é, de acordo com Fernanda, o "espetáculo mais complexo que o Giramundo já montou, pois usa todas as formas de manipulação de bonecos, desde o boneco de mão, fios, digitais, projeções, intervenção de atores reais com os bonecos, além, claro, do fato de a banda estar tocando ali, tudo em sincronia é um desafio, mas é muito impactante". Agora é aguardar e torcer para que Fernanda Takai, o Pato Fu e o Giramundo iniciem logo a turnê de Alice Live.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.