27°
Máx
13°
Min

Projeto Sonora Brasil traz novidades musicais para Londrina

(foto: Site Sesc/ Reprodução)  - Projeto Sonora Brasil traz novidades musicais para Londrina
(foto: Site Sesc/ Reprodução)

O Sesc Cadeião inicia a nova temporada da 18ª edição do Sonora Brasil, considerado  o maior projeto de circulação musical do país, com registro de mais de 50 mil espectadores no ano passado.

O Sonora Brasil cumpre a missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra não comercial. Através do projeto, o Sesc busca estimular a formação de plateia por meio do contato do público com a qualidade e a diversidade da música. Os temas selecionados para o biênio 2015/2016 foram Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho e Violas Brasileiras, que são desenvolvidos com a participação de quatro grupos em cada vertente, selecionados por meio de uma curadoria nacional que define a temática e os artistas.

Este ano, o tema Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho passa pelas regiões Sul e Sudeste, e Violas Brasileiras pelo Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, invertendo o circuito do ano passado. Os oito grupos circularão por 114 cidades de todas as regiões do Brasil, totalizando 418 concertos.

Todas as apresentações são essencialmente acústicas, valorizando a qualidade sonora das obras e de seus intérpretes. Desde a primeira edição, em 1998, o Sonora Brasil já contou com a participação de cerca de 80 grupos em mais de 4.900 apresentações por todo o país, alcançando um público superior a 520 mil espectadores. A cada dois anos, dois temas são desenvolvidos, buscando aprofundar a relação do público com aspectos relevantes da música no país.

Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho

Apresenta o canto como expressão musical relacionada às atividades laborais, fato social presente na cultura brasileira tanto no ambiente rural quanto no urbano, com registros que confirmam a sua existência já no século XVIII.

Três grupos representam formas tradicionais relacionadas a trabalhos rurais: Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL); Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente (BA) e Quebradeiras de Coco Babaçu (MA).  O Grupo Ilumiara (MG), formado por músicos pesquisadores, apresenta repertório recolhido em pesquisas sobre diversas vertentes do tema.

O primeiro grupo que será recebido na cidade será o grupo: Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL). Grupo formado por cinco mulheres da região de Sítio Fernandes, município de Arapiraca, na zona rural do agreste alagoano, e Nelson Rosa, mestre de coco de roda reconhecido como patrimônio vivo do estado de Alagoas.

O cultivo do fumo foi a principal atividade econômica por mais de cinco décadas em Arapiraca, as mulheres trabalhavam horas a fio sentadas no chão nos “salões de fumo”, destalando e selecionando as folhas ao som de cantigas entoadas para espantar o sono durante as madrugadas.

Os cantos das destaladeiras são entoados a várias vozes com uma voz solo no improviso dos versos, geralmente tirado pelas líderes do salão; ocorrem em forma de trovas rimadas e têm como característica serem arrastados e sem acompanhamento instrumental. O grupo traz no repertório, além das canções tradicionalmente entoadas na rotina laboral da destalação, cantigas de barreiro e tapagens de casa, os rojões de eito entoados nas tarefas da roça e o pagode, música que embalava as festas em que a comunidade comemorava o chamado derradeiro dia de fumo, no encerramento da safra.

(com assessoria de imprensa)


Serviço

Grupo: Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL)

Dia 14 de agosto às 17h

Gratuito

Local: Sesc Cadeião Cultural (Rua Sergipe, 52 – Centro | Londrina PR)