21°
Máx
17°
Min

Russa Lydia Kavina faz concerto com Teremim na Caixa Cultural Curitiba

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, como atração do projeto Série Solo Música, o concerto da russa Lydia Kavina, que irá fazer um recital de teremim no dia 26 de julho (terça-feira), às 20h. O curioso instrumento eletrônico é tocado sem que se encoste nele e os sons são gerados a partir dos gestos do instrumentista. Lydia aproveita a passagem por Curitiba para uma aula de demonstração, no dia 27 (quarta-feira), com entrada franca.

Lydia Kavina é uma das principais referências mundiais de teremim, instrumento criado em 1919 por aquele que foi seu primeiro professor, Lev Sergeevich Termen, seu tio-avô, conhecido no ocidente como Léon Theremin. Trata-se de um dos primeiros instrumentos absolutamente eletrônicos criados na história.

Até hoje, o teremim surpreende o público por abrir ao redor do músico um campo sonoro, no qual a interferência gestual gera som sem que haja contato físico com o instrumento, de forma a ser tocado com movimentos dos braços no ar. É essa situação que surpreende: a necessidade do executante ter a compreensão exata da relação entre música e o gesto que executa, além do espaço físico. O músico se posiciona frente ao instrumento e move suas mãos perto das antenas de metal, geralmente com a mão esquerda regulando volume e a direita, a frequência.

O repertório terá composições originais para teremim e variações escritas pela própria artista. Ela traz obras originais de compositores pouco conhecidos no Brasil, como os russos Andrew Popov e Olesia Rostovskaya, a música do equatoriano Jorge Campos, da norte-americana Lydia Ayers e do brasileiro Jorge Antunes – Mixolydia, escrita especialmente para Kavina. Entre as variações, tocará um Canon de Johann Pachebel e a mais popular música do americano Alexander Courage, o tema do seriado Star Trek (Jornada nas estrelas).

Gestos com precisão

Lydia Kavina mora na Inglaterra e iniciou seus estudos de teremim aos nove anos, com o próprio Léon Theremin. Estudou piano e formou-se em composição e teoria musical pelo Conservatório de Moscou. Como solista, atuou junto a orquestras importantes como a Orquestra Sinfônica de Londres, a Orquestra de Concertos da BBC, a Orquestra da Rádio Holandesa, a Filarmônica de Dusseldorf e a Orquestra Filarmônica da Rússia.

Teve concertos sob regência de maestros consagrados, como Vladimir Spivakov, Charley Hazlewood e Reinbert de Lewes. Fez concertos sobre a música dos filmes de Alfred Hitchcock e Tim Burton, participou de montagens de balé, teatro e musicais, entre os quais a montagem de Black rider, de Tom Waits e Robert Wilson, realizada na Alemanha, em 1992 e 1998.

Em 1997, Lydia esteve no Brasil, onde se apresentou no Festival de Música Eletrônica de Brasília e tocou a primeiraSuíte Aerophonica, para teremim e orquestra, de Joseph Schillinger, sob regência de Jorge Antunes. No campo da música contemporânea, Kavina atua como intérprete e compositora, tendo seu Concerto para teremin e orquestra sinfônica estreada em 1997 pela Boston Modern Orchestra, sob regência de Gil Rose.

A artista lançou diversos discos e gravou para trilhas de cinema, entre as quais Ed Wood e eXistentnZ, música de Howard Shore, e The Machinist, de Roque Banos. Ela aperece no filme Me and Kaminsky, de Wolfgang Becker, no papel de uma teremista.

O instrumento

O teremim foi criado em 1919 pelo físico e músico russo León Theremin, originado a partir de pesquisas sobre sensores de proximidade, projeto financiado pelo governo russo. León Theremin divulgou o instrumento nos Estados Unidos nos anos 1920. Theremin cedeu, depois, os direitos à RCA, que em 1929 lançaria o Thereminvox.

De imediato, o instrumento fascinou plateias, a partir das apresentações de Clara Rockmore. Em 1938, León Theremin deixou os Estados Unidos e só apareceria publicamente 30 anos depois, na Rússia. Quanto ao instrumento, após um período de desuso, retornaria a gerar interesse de músicos no final dos anos 50, com Robert Moog, que o desenvolveu, publicou artigos e vendeu kits para construção.

O teremim faz uso de um circuito eletrônico com dois osciladores heteródinos de rádio, um com frequência fixa e outro controlado pela mão, que funciona como uma placa aterrada e determina a frequência. Atualmente, os principais teremins do mundo são da marca Moog, sendo o mais comum o Etherwave Moog. No Brasil, há a produção de teremins pela empresa RDS, de Minas Gerais.

Serviço

Música: Série Solo Música apresenta Lydia Kavina

Local: CAIXA Cultural Curitiba - Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba (PR)

Data: 26 de julho de 2016 (terça-feira)

Hora: 20h

Ingressos: vendas a partir de 23 de julho (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA).


Música: Aula de demonstração de teremim

Local: CAIXA Cultural Curitiba - Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba (PR)

Data: 27 de julho de 2016 (terça-feira)

Hora: 19h30

Ingressos: entrada franca

Classificação etária: livre para todos os públicos

Colaboração Assessoria de Imprensa