22°
Máx
14°
Min

Atletas de Carambeí conquistam título nacional em São Paulo

(Foto: Divulgação) - Atletas de Carambeí conquistam título nacional em São Paulo
(Foto: Divulgação)

A equipe de Kickboxing de Carambeí participou do Campeonato Brasileiro realizado em São Paulo e voltou com a vaga para o Pan-Americano, que será disputado em outubro no México. A classificação veio após a conquista do campeonato estadual realizado no mês de abril em Guarapuava. Três atletas da cidade conquistaram o lugar mais alto do pódio - Richard Jacobi garantiu o tricampeonato na categoria absoluto, Rafael Oliveira, atleta do sub-17 faturou a categoria pesado e Rodrigo Passos ficou em primeiro na categoria ligeiro.

Essa conquista garantiu a eles a classificação para o Pan-americano, que será realizado em outubro, em Cancun no México. O professor Sergio de Oliveira destaca os próximos passos da equipe. “A meta agora é a preparação para o Pan [americano], trabalhar com os atletas para ter um bom desempenho no campeonato”. No final do mês, a equipe participa de um campeonato no Equador como preparação para o Pan.

Sergio lembra que atletas de Carambeí participam de competições desde 2008, e contabilizam um bom retrospecto. Richard Jacobi, que está na equipe desde o início, conquistou várias premiações, destaque para o terceiro lugar no Mundial da Itália em 2014, campeão paranaense e o tricampeonato brasileiro. A atleta Valdirene Stanski, que não pode participar desse último campeonato, é campeã brasileira de 2015 e conquistou o terceiro lugar no Mundial em 2014.

O professor avalia que esses resultados colaboraram para criar o Projeto Kickboxing nas escolas municipais Tônia Harms, José Pedro Novaes Rosas e Fátima Augusta Bosa que atende em torno de 150 alunos.

Projeto

O projeto social de Kickboxing oferece aulas para crianças no contraturno escolar, como fonte de educação, lazer e prática esportiva de qualidade para alunos da rede pública de ensino. Segundo Sergio, a arte marcial desenvolvida de forma diferenciada, além de suas filosofias, regras e disciplinas, ajuda na formação de caráter e traz junto dela também atividades físicas e recreativas através de brincadeiras e exercícios que trabalham a coordenação motora e ajudam nos gastos calóricos necessários que contribuem para uma vida mais saudável e com qualidade para as crianças.

Sergio ressalta que o projeto ultrapassa as barreiras do preconceito, “a arte marcial não ensina a bater, além de ajudar na formação do caráter, faz com que as crianças compreendam que os movimentos não são instrumentos de agressividade”, frisa.

Atualmente o município conta com aproximadamente 20 atletas que competem pela cidade. O professor aponta que o projeto desenvolvido nas escolas serve também para a formação de novos atletas.

Colaboração Assessoria de Imprensa.