24°
Máx
17°
Min

Guilheiro perde disputa do bronze em Almaty e fecha ciclo olímpico sem medalhas

Duas vezes medalhista olímpico e um dos maiores judocas da história do País, Leandro Guilheiro, de 32 anos, já pensa nos Jogos de Tóquio. O veterano encerrou o ciclo olímpico neste sábado com derrota na disputa do bronze da categoria até 81kg no Grand Prix de Almaty, no Casaquistão. O quinto lugar foi o melhor resultado dele desde o fracasso nos Jogos de Londres, em 2012.

Bronze em Atenas e Pequim na até 73kg, Guilheiro subiu de categoria para os Jogos de Londres e dominou aquele ciclo. Chegou à Olimpíada como favorito ao ouro, mas caiu nas quartas de final diante de um norte-americano e voltou para casa sem medalha.

Ainda em outubro de 2012, foi pela primeira vez à mesa de cirurgia, para operar o ombro. Em março de 2013, precisou passar por uma operação de reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho direito. O tratamento foi muito longo e ele só voltou às competições em agosto de 2014.

Os resultados nunca mais apareceram, exceto uma prata e um bronze em eventos da série Open, quase inexpressivos, no início do ano passado. Sequer à repescagem ele chegou em qualquer torneio de Grand Prix ou Grand Slam ao longo do ciclo.

Em Almaty, venceu Konstantins Ovchinnikovs, da Letônia, e Levan Gugava, da Geórgia, antes de cair diante de Shakhzodbek Sabirov, do Usbequistão, 19.º do mundo. Na repescagem, venceu Ivan Morales, de Cuba, e perdeu a medalha diante de Dagvasuren Nyamsuren, da Mongólia, número 15 do ranking.

Guilheiro é o 70.º e deverá precisar passar por uma seletiva para se manter na seleção brasileira para o próximo ciclo olímpico. O representante do Brasil na categoria até 81kg no Rio-2016 será Victor Penalber, sexto do ranking.

Em Almaty, o Brasil compete com apenas seis atletas. Na sexta, Nathalia Brígida ganhou bronze, mas ela também não vai ao Rio - é da mesma categoria de Sarah Menezes. No domingo, Rafael Buzacarini (até 100kg) e Eduardo Bettoni (até 90kg) vão ao tatame. Buzacarini precisa de uma medalha para passar Luciano Corrêa no ranking e se credenciar à Olimpíada.