27°
Máx
13°
Min

Após fazer programa da Olimpíada mudar, Allyson Felix não se classifica nos 200m

(Foto: Divulgação)  - Allyson Felix não se classifica nos 200m
(Foto: Divulgação)

Os organizadores do Rio-2016 aceitaram mudar o programa de provas do atletismo de forma que Allyson Felix pudesse correr tanto os 200m quanto os 400m. O que ninguém esperava é que a veterana, medalhista nas últimas três Olimpíadas, não conseguisse se classificara para competir nos 200m nos Jogos do Rio.

Prata em Atenas e em Pequim e campeã olímpica em Londres, Felix ficou a 0s01 de se garantir no Rio. No domingo, no último dia da fortíssima seletiva norte-americana, a vitória nos 200m ficou com Tori Bowie, com o tempo de 22s25. Ela foi seguida de Deajah Stevens (22s30) e Jenna Prandini (22s53). Felix completou em quarto, com 22s54.

Considerada uma das maiores de todos os tempos no atletismo, Allyson queria correr tanto os 200m quanto os 400m no Rio-2016, ainda que as provas costumem ser disputadas por atletas com características físicas diferentes. Tanto que, no Rio-2016, as primeiras baterias dos 200m estavam programadas para as 21h30 do dia 15 de agosto, uma segunda-feira, pouco antes da final dos 400m, às 22h45.

A pedido US Track and Field, a federação norte-americana de atletismo, a IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo) decidiu inverter o horário das baterias dos 200m com as dos 400m com barreiras, jogando a prova mais curta para a sessão matinal. Tudo para que Felix tivesse mais de 12 horas de descanso entre os 200m e os 400m.

Em Londres, além dos 400m, Alyson também ganhou o 4x100 metros e o 4x400 metros. Ela tinha como meta se tornar a primeira mulher a ganhar quatro medalhas de ouro no atletismo em uma só edição dos Jogos, mas agora só vai brigar por três: 4x400m, 400m e, quem sabe, o 4x100m.

VARA - Também no domingo, os EUA definiram as três atletas do salto com vara que vão disputar a Olimpíada. A seletiva foi vencida por Jennifer Suhr, que saltou 4,80m e falhou nas três tentativas de 4,85m. Sandi Morris fez prova limpa até 4,70m, pulou para 4,85m, mas não obteve sucesso. A terceira vaga ficou com Alexis Weeks, que alcançou 4,70m, carimbou o passaporte, e se retirou da prova.

Morris e Suhr são adversárias diretas de Fabiana Murer por uma medalha no Rio e ocupam, respectivamente, o quarto e o quinto lugares no ranking mundial, com 4,83m e 4,82m. Estão atrás de Murer (4,87m), da grega Ekateríni Stefanídi (4,86m), que no sábado ganhou o Campeonato Europeu, e da cubana Yarisley Silva (4,84m.).

Na temporada indoor, Suhr bateu o recorde mundial, saltando 5,03m, enquanto Morris alcançou 4,95m. Demi Payne, que saltou 4,90m e ficou em terceiro no ranking indoor, sequer participou da seletiva. As três fizeram um total de 11 saltos acima de 4,85m na temporada indoor.