22°
Máx
14°
Min

CBAt resolve pendência financeira e garante realização do GP Brasil de Atletismo

Cancelado em 2015 por falta de recursos, o GP Brasil de Atletismo de 2016 correu sério risco, mas será realizado. A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) ainda não confirma de forma oficial, mas a única prova internacional do calendário anual brasileiro será realizada em 19 de junho, em São Bernardo do Campo (SP), na chamada Arena Caixa.

No site da IAAF (Associação das Federações Internacionais de Atletismo, na sigla em inglês), a competição ainda aparece agendada para o dia 26 de junho, data para a qual estava programada. Mas a CBAt, sem alarde, antecipou o evento em uma semana no seu calendário oficial e assegurou a realização pela primeira vez no ABC paulista, no mesmo local onde, em 30 de junho, começa o Troféu Brasil, equivalente ao campeonato brasileiro de atletismo.

Há menos de um mês, quando realizou uma assembleia extraordinária, a diretoria da CBAt chegou a colocar em votação a possibilidade de remanejar a pouca verba disponível para o GP Brasil e cancelar o evento. O presidente da entidade, José Antonio Fernandes, o Toninho, então viajou a Montecarlo, onde fica a sede IAAF, para pedir a redução na premiação obrigatória e viabilizar a realização do GP Brasil.

A situação ainda não está completamente resolvida, mas a CBAt já informou a técnicos brasileiros que conta com o retorno dos atletas ao Brasil um pouco antes do combinado para que eles possam participar do GP, em um domingo, possivelmente com transmissão ao vivo pela TV. As provas a serem disputadas ainda não estão definidas.

HISTÓRICO - O GP Brasil teve 30 edições consecutivas, de 1985 a 2014. Desde 1990, o evento tem a chancela da série World Challenger, segundo principal circuito internacional do atletismo, atualmente atrás só da Diamond League.

Até 2014, ele era realizado na mesma semana que os GP de Uberlândia, em Minas Gerais, e de São Paulo, o que permitia que três estados dividissem os custos da trazer atletas estrangeiros ao Brasil e do aluguel de equipamentos. Mas no ano passado os governos de Minas Gerais e do Pará anunciaram que não tinham dinheiro para a realização do evento. Após 10 anos, Belém abriria mão do GP Brasil.

Chegou-se até a especular que os recursos reservados por São Paulo para o GP São Paulo fossem utilizados para a realização do GP Brasil, que chegou a ser adiado de junho para setembro. O prazo extra não ajudou a encontrar patrocinadores e em agosto o GP Brasil foi oficialmente cancelado. A IAAF entendeu os argumentos da CBAt e não retirou a chancela para 2016.