27°
Máx
13°
Min

Com bronze no Rio, atleta de 40 anos dá 1ª medalha feminina ao Brasil na maratona

(Foto: Divulgação)  - Com bronze no Rio, atleta de 40 anos dá 1ª medalha feminina ao Brasil
(Foto: Divulgação)

O atleta Edneusa Dorta, de 40 anos, ganhou a primeira medalha do Brasil em uma maratona paralímpica feminina, neste domingo. Ela alcançou a marca 3h18min38 e ficou com a medalha de bronze. A prova incluía cinco voltas entre a Praia de Copacabana e a do Leme, na zona sul do Rio, totalizando 42km.

Foi a primeira participação da atleta em uma Paralimpíada. Edneusa compete pela classe T12, para deficientes visuais. Mesmo sob sol forte, a baiana de Salvador não passou mal durante a corrida, nem pediu para parar nenhuma vez.

"Foi difícil segurar o ritmo, até chegar o final. Mas, com a vontade de ganhar a medalha e a força de todos, consegui. O calor atrapalhou um pouco, mas eu entrei com tudo, com vontade de vencer", disse a atleta, que entrou para o paratletismo em 2012. Edneusa adquiriu o problema de visão devido a rubéola da sua mãe, durante a gravidez.

O ouro desta prova ficou com a espanhola Elena Congost, com o tempo de 3h01min43, enquanto a prata foi conquistada pela japonesa Misato Michishita, com 3h06min52.

Já o brasileiro Alex Douglas Silva, que era o favorito na prova masculina da modalidade, passou mal na terceira das cinco voltas da prova e desistiu da competição. Ele contou que, por causa do sol forte e de uma virose que teve na semana passada, diminuiu o ritmo e não aguentou. O atleta compete na categoria T46 (amputados e outros).

"Devido ao clima, acabei gastando mais do que estava repondo e comecei a ter bastante fadiga muscular. Antes da prova, tive uma virose e minha imunidade estava oscilando. Poderia ter sido medalhista, mas, como essa é uma prova de resistência, nem sempre o melhor vence, é quem aguenta mais. Hoje não foi um bom dia para mim, sei que poderia ter chegado mais longe, mas infelizmente não deu. Peço desculpas a todos", disse o atleta.

Durante a prova, mais três atletas também desistiram. A corrida foi vencida pelo marroquino Amin Chentouf, que chegou com 2h32min17. O segundo lugar ficou com o espanhol Alberto Suarez Laso, com 2h33min11, e o terceiro com o chinês Masahiro Okamura, com 2h33min11s.

Alex descobriu um encurtamento no braço esquerdo, com oito anos. Em 2007, ele entrou para o paratletismo. Ele ganhou medalha de prata nos 1500m no Mundial de Doha em 2015. O Brasil não teve vendedores na corrida de cadeira de rodas. Maria de Fátima passou mal e desistiu da prova. Já Alice Rocha chegou em décimo lugar.