22°
Máx
17°
Min

Com salto fraco, Murer vence prova de nível baixo em evento-teste Rio

Em uma prova no qual não contou com nenhuma concorrente de nível alto, neste domingo à noite, no Engenhão, Fabiana Murer faturou a medalha de ouro da prova do salto com vara do Campeonato Ibero-Americano, que serve como evento-teste para os Jogos Olímpicos do Rio.

O seu melhor salto, de 4,60m, que está muito distante dos melhores obtidos nesta temporada, já lhe garantiu o topo do pódio. Apesar da marca sem expressão, a brasileira ganhou a disputa com folga, pois a prata ficou com a porto-riquenha Diamara Planell, que saltou apenas 4,30m em sua melhor tentativa. Já o bronze ficou com a argentina Valeria Chiaravligio, que completou o pódio com 4,10m.

Murer, por sua vez, já começou a prova com o sarrafo posicionado a 4,40m do chão, antes de conseguir saltar 4,60m. Ela até tentou ultrapassar a marca de 4,70m por três vezes, mas falhou neste evento que serviu mais para a atual vice-campeã mundial se ambientar ao palco da disputa da Olimpíada, em agosto.

A própria Murer reconheceu que não estava preocupada com a possibilidade de conquistar uma marca expressiva neste Ibero-Americano, tendo em vista a sua fase atual de treinos que está focando principalmente a temporada outdoor na Europa, onde irá disputar a etapa de Roma da Diamond League, em Roma, no próximo mês, antes de também competir em Birmingham, na Inglaterra, e em duas competições na Suíça.

Na sequência, na reta final de preparação para os Jogos do Rio, ela participará do Troféu Brasil de Atletismo, em julho, e estará presente em outras duas etapas europeias da Diamond League.

OUTRAS PROVAS - Em outra prova encerrada na noite deste sábado no Engenhão, Rosângela Santos, atleta já com índice olímpico para o Rio-2016, garantiu o ouro na prova dos 100 metros ao cravar 11s24 na final. Já a prata e o bronze ficaram respectivamente com as equatorianas Gabriela Tenório (11s29) e Landazuri Marisol (11s35).

Já na final masculina dos 100m, o ouro ficou com o dominicano Stanly Cruz, que cravou 10s27 e ficou logo à frente do brasileiro Bruno Lins (10s28), segundo colocado. O colombiano Diego Echavarria (10s30) completou o pódio. O Brasil, por sinal, ainda não tem atletas com índice olímpico nesta prova, que é de 10s16.

Este fato, por sinal, chegou a ser motivo de revolta de Rosângela Santos após as eliminatórias dos 100m, na qual foi apenas a oitava colocada. Ela chegou a bater boca com um repórter quando foi lembrada pelo mesmo de que o Brasil ainda não tinha, entre os homens, índice olímpico na prova mais rápida do atletismo para os Jogos do Rio. "É cada pergunta que vocês fazem... Me pergunta como eu fui na prova, do meu desempenho", reclamou, antes de ser avisada pelo jornalista que ela não tinha o direito de escolher qual perguntas ele teria de fazer.

Em outras provas do dia, o brasileiro Wagner Domingos ficou com o ouro no lançamento do martelo com a marca de 72,18m, a brasileira Eliane Martins também foi ao topo do pódio no salto em distância com 6,52, deixando Keila Costa em segundo lugar com 6,43m e Jéssia Reis em terceiro com 6,31m. No arremesso de peso masculino o ouro foi para o também brasileiro Darlan Romani (19,67m), enquanto nos 3.000 masculino o brasileiro Ederson Pereira foi bronze com o tempo de 7min56s20. Já na versão feminina desta prova, o ouro foi para a brasileira Juliana Santos, com 9min03s11.