20°
Máx
14°
Min

Diogo Sclebin se aproxima do Rio-2016 no triatlo

(Foto: Divulgação)  - Diogo Sclebin se aproxima do Rio-2016 no triatlo
(Foto: Divulgação)

Diogo Sclebin está perto de ser o representante do Brasil no triatlo dos Jogos Olímpicos do Rio. Faltando apenas uma prova para o encerramento do período de classificação, ele precisa avançar quatro posições no ranking mundial para ter a convocação assegurada. Caso contrário, a decisão será tomada por uma comissão a ser formada pela Confederação Brasileira de Triatlo (CBTri). Entre as mulheres, Pamella Oliveira está garantida no Rio-2016.

No último sábado, Sclebin foi sexto colocado na etapa de Acapulco (México) da Copa do Mundo, somando 338 pontos no ranking mundial. Com o resultado, chegou a 2.784. Danilo Pimentel, seu concorrente direto, terminou a competição em quarto, com 395 pontos. Agora ele tem 1.607.

O período de classificação para o Rio-2016 se encerra no próximo domingo, com a etapa de Yokohama (Japão) do Circuito Mundial. Entre os brasileiros, só Diogo, 44.º do mundo, pode entrar no Top 40, critério exigido pela CBTri para garantir que o melhor brasileiro do ranking irá aos Jogos. Apenas 143 pontos o afastam do 40.º lugar.

Como a vaga é do país, não do atleta, caso ele não atinja essa meta, a comissão da CBTri, que ainda será formada, decidirá para quem dará a credencial. Aí, serão três concorrentes: Diogo Sclebin, Danilo Pimentel e Reinaldo Collucci. O primeiro tem o argumento de ser o melhor do ranking. O segundo, de ter os melhores resultados no Circuito Mundial.

Já Collucci é o dono dos melhores resultados da história do triatlo brasileiro, nono colocado no Mundial de 2013 e décimo em 2014. Mas ele sofreu uma lesão no calcanhar de Aquiles ainda em 2014 e ficou oito meses afastado das competições. Quando voltou, não repetiu os melhores resultados.

FEMININO - Entre as mulheres não houve espaço para zebras. Pamella Oliveira é 24.ª do ranking mundial e estará no Rio-2016. Ela tem gigantesca folga sobre Beatriz Neres, a 112.ª do mundo, e será a única representante do Brasil nos Jogos. Pamela já esteve em Londres-2012, completando em 30.º lugar. Agora, deve brigar pelo Top 20.