21°
Máx
17°
Min

Em julgamento de quase 7 horas, Ana Cláudia Lemos é apenas advertida por doping

A velocista Ana Cláudia Lemos, recordista sul-americana dos 200 metros e brasileira dos 100 metros, pode voltar a pensar na Olimpíada do Rio, em agosto. Pelo menos por enquanto. Em julgamento da Comissão Disciplinar Nacional (CDN), da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), em São Paulo, que durou quase sete horas e terminou no meio da madrugada deste sábado, a atleta foi apenas advertida por doping.

Ana Cláudia Lemos foi julgada por ter apresentado resultado positivo em um exame antidoping para a substância Oxandrolona, substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), em teste fora de competição feito pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), no início de fevereiro, no Rio.

Ao final do julgamento, que teve a presença da velocista, a presidente da Comissão, Solange Guerra Bueno, anunciou o resultado: "Por unanimidade de votos, foi aceita a denúncia da Procuradoria, pois se comprovou que a substância proibida foi encontrada no organismo da atleta. Porém, por maioria de três votos contra dois, os auditores entenderam também que houve contaminação, pois a atleta fazia uso de um medicamento (procolage), que provocou o resultado positivo", afirmou.

O procurador da Comissão Disciplinar Nacional, Caio Medauar, informou que irá recorrer do resultado, assim que o acórdão for publicado. "Com qualquer resultado, todos sabiam que haveria recurso, fosse da Procuradoria ou da defesa", disse Caio.

No julgamento, o médico Ronaldo Abud foi levado como testemunha de defesa de Ana Cláudia Lemos. "Conseguimos demonstrar a inocência da atleta", disse o advogado Marcelo Franklin. Ele entende ser normal que a Procuradoria recorra ao pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). "Agora a Ana Claudia volta a ter condições de competir normalmente", informou o defensor.

Ana Cláudia Lemos, que não quis falar com a imprensa após o julgamento, conquistou duas medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara (México) - nos 200 metros e no 4x100 metros. No Pan do ano passado, em Toronto (Canadá), ela sofreu uma contusão nos últimos metros da prova e ficou fora também do Mundial de Pequim, na China. Ela já participou de duas edições dos Jogos Olímpicos - em 2008, na China, foi reserva do revezamento; em Londres, em 2012, participou da final do revezamento, terminando em sexto lugar.