24°
Máx
17°
Min

Esporte de Londrina perde recursos federais por falta de pessoal

(Foto: N.Com/Arquivo) - Esporte de Londrina perde recursos federais por falta de pessoal
(Foto: N.Com/Arquivo)

“Precisamos abrir as portas para os recursos federais, mas ainda não temos fôlego para isso.” A afirmação é do diretor presidente da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), Vilmar Caus, que participou da sessão ordinária desta terça-feira (1º), a convite do vereador Amauri Cardoso (PSDB), para falar sobre o Programa Esporte e Lazer da Cidade (PELC) e outras iniciativas do Ministério do Esporte. Segundo Caus, no momento a FEL não conta com recursos humanos que permitam ao órgão se beneficiar deste tipo de iniciativa.

“No caso do PELC são repassados R$ 220 mil aos municípios, divididos em 24 meses. Mas para ter acesso é preciso fazer um planejamento, contratar e capacitar professores, e não temos como fazer isso. Estamos estruturando a Fundação e implantando um Departamento de Projetos para nos beneficiarmos destes programas”, admitiu Caus, citando outras iniciativas do Ministério do Esporte, como o Programa Segundo Tempo, que busca democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte prioritariamente em áreas de vulnerabilidade social, e que também não é desenvolvido em Londrina.

Sugestões

O vereador Amauri Cardoso defendeu uma união de esforços para estruturar a FEL e possibilitar ao município se beneficiar dos programas federais. “Todos sabem da importância do esporte, mas até agora esta política pública não foi tratada com o respeito que merece”, disse. O parlamentar coordenou, em 9 de dezembro do ano passado, uma reunião pública na Câmara para discutir os desafios do esporte amador e comunitário. Entre as propostas apresentadas na ocasião estavam a criação de um Conselho Municipal de Esporte e Lazer, já sugerido ao Executivo, e a realização de concurso público para contratação de mais profissionais de educação física para atuarem em projetos da FEL.

“Estamos cumprindo nosso papel de fiscalizadores, mostrando que estamos atentos aos recursos que poderiam ser captados pelo município e não são. Estamos discutindo, trazendo estas informações, sugerindo, alertando para os prazos de apresentação dos projetos, na tentativa de melhorar o esporte no município. Esta é uma política que faz muita falta em Londrina”, afirmou o vereador.

Amauri Cardoso lembrou que em outros municípios estes programas beneficiam uma parcela significativa da população. É o caso de Cuiabá (MT), onde o PELC está sendo desenvolvido junto a 15,6 mil pessoas, distribuídas em 39 núcleos recreativos de esporte e lazer. “Vamos continuar cobrando mais atenção para esta área em Londrina e colaborando para um esforço concentrado no sentido de não permanecer esta situação, em que recursos estão sendo perdidos”, reforçou o parlamentar.