22°
Máx
14°
Min

Fabiana Beltrame fica fora do Rio-2016, mas CBR ainda busca por convite

(Foto: Divulgação)  - Fabiana Beltrame fica fora do Rio-2016, mas CBR ainda busca por convite
(Foto: Divulgação)

Principal nome do remo no País, Fabiana Beltrame pagou caro pela demora na escolha de qual prova tentaria disputar no Rio-2016. Apesar de ter conquistado a vaga nos Jogos, ela ficou fora da convocação anunciada nesta terça-feira pela Confederação Brasileira de Remo (CBR), que optou por levar aos Jogos o barco do double Skiff peso-leve, de Vanessa Cozzi e Fernanda Nunes. A entidade, porém, ainda busca um convite para Fabiana.

Pelos critérios definidos pela Federação Internacional de Remo e pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), cada país poderia classificar apenas uma embarcação masculina e uma feminina a partir da Regata Continental Latino-Americana, disputada em março, no Chile. Já a comissão técnica determinou que, caso dois barcos se classificassem, iria ao Rio o que obtivesse melhor índice de referência. Fabiana, com 91,70%, foi pior que Vanessa/Fernanda, com 93,95.

A catarinense poderia ter tentado a classificação olímpica pelo Mundial do ano passado, quando estavam em jogo nove vagas no single Skiff (peso pesado) e 11 no double Skiff peso-leve. Mas ela preferiu tentar mais um título no single Skiff peso-leve, prova que não faz parte dos Jogos, adiando a tentativa de classificação para a Regata Continental.

No Chile, com teve desempenho pior que do surpreendente barco de Vanessa Cozzi e Fernanda Nunes, acabou sendo preterida na disputa. As experientes remadoras, de 32 e 31 anos, vão para a primeira Olimpíada. Já Beltrame fica fora dos Jogos pela primeira vez desde 2004. Ela foi a Atenas e a Pequim no single Skiff, terminando em 14.º e em 19.º lugar, respectivamente. Em Londres, competiu no single Skiff peso-leve em dupla com Luana Bartholo.

No masculino, ocorreu a mesma situação, de dois barcos se classificaram pela Regata Continental. Também pelo índice de referência, a CBR optou por levar aos Jogos a dupla formada por Xavier Vela (espanhol que 'estreou' como brasileiro na seletiva) e Willian Giaretton, em detrimento a Steve Heistand.

A CBR, entretanto, ainda confia que Steve e Fabiana poderão estar no Rio-2016. A entidade, via Comitê Olímpico do Brasil (COB), e também diretamente, solicitou à federação internacional e ao COI a permissão para que o Brasil participe dos Jogos nas quatro provas nas quais se classificou.

"O pedido é justificado pela qualidade dos atletas demonstrada ao longo dos últimos anos e a relevância que um atleta brasileiro em provas de Skiff, onde o Comitê Olímpico Internacional (COI) possui o maior número de vagas para convidados, que podem fazer a diferença na promoção e no desenvolvimento local e internacional do remo", argumenta a CBR.