22°
Máx
16°
Min

Froome confirma tri da Volta da França e homenageia vítimas de atentado em Nice

(Foto: Reprodução/Facebook) - Froome confirma tri da Volta da França e homenageia vítimas
(Foto: Reprodução/Facebook)

O ciclista Chris Froome confirmou neste domingo o título da edição de 2016 da Volta da França. O britânico completou os 103 km entre Chantilly e a avenida Champs-Elysées, em Paris, e levantou a taça da competição pela terceira vez na carreira.

Na comemoração, ele dedicou a conquista às 84 vítimas do atentado terrorista em Nice e a seu filho Killan, que estava presente na cerimônia ao lado de sua esposa, Michelle. "Este Tour aconteceu no contexto terrível dos acontecimentos em Nice. Quero mostrar meu respeito mais uma vez a aqueles que perderam suas vidas e seus familiares", comentou na entrevista ainda no pódio.

"Esses acontecimentos fazem com que a gente tenha a responsabilidade de passar os valores do esporte, que são tão importantes para se ter uma sociedade livre. A gente gosta do Tour da França porque representa esses valores e sempre seguirá essa linha", emendou o britânico.

Campeão da Volta da França em 2013 e em 2015, Froome entra para o seleto grupo de ciclistas que têm três títulos como o norte-americano Greg LeMonde, o francês Louison Bobet e o belga Philippe Thys. Os recordistas, com cinco conquistas cada, são os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault, o belga Eddy Merckx e o espanhol Miguel Indurain.

O percurso final foi de festa para Froome, que já tinha o título encaminhado. Nos metros finais, o camisa amarela formou um cordão com os companheiros da equipe Sky e todos cruzaram a linha de chegada abraçados. Na comemoração, o britânico distribuiu cerveja e champanhe para os companheiros. "Esse título também é dedicado à família da equipe Sky. Essa camiseta amarela não estaria comigo se não fosse o compromisso deles. Trata-se de uma equipe especial e estou muito orgulhoso de fazer parte dela".

Soberano durante quase todo o evento, Froome assumiu a liderança a partir da oitava etapa e não largou mais. O britânico chegou para a última etapa com uma vantagem de 4min05s sobre o francês Romain Bardet, o segundo colocado, com o colombiano Nairo Quintana em terceiro lugar, 4min21s atrás. Os 103 km finais da competição tiveram a vitória do alemão Andre Greipel, seguido pelo eslovaco Peter Sagan e o norueguês Alexander Kristoff.