24°
Máx
17°
Min

Marcha atlética tem mais dois índices, medalha e recordes brasileiros

A marcha atlética do Brasil viveu um dia histórico neste sábado, na etapa de Dudince (Eslováquia) do Race Walking Challenge, espécie de Circuito Mundial da disciplina. Mais dois atletas - Jonathan Riekmann e Moacir Zimmermann - fizeram índice para os Jogos Olímpicos e Erica Rocha de Sena não só ganhou a medalha de prata como baixou em um minuto seu próprio recorde brasileiro dos 20km, para 1min28s22.

O recorde anterior, 1h29min37s, estava completando um ano, uma vez que foi batido exatamente em Dudince, no ano passado. Erica, que mora no Equador, no ano passado foi sexta no Mundial e medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos. Ela já tinha o índice olímpico e ratificou a qualificação para o Rio-2016 na Eslováquia.

A prova em Dudince não contou com atletas da China, que é potência na marcha atlética e fez ouro e prata no Mundial de Pequim, no ano passado. Erica só foi superada por Eleonora Giorgi, da Itália, ficando logo à frente de Ana Cabecinha, de Portugal, quarta em Pequim. Cisiane Dutra Lopez, que também já tem índice, ficou só em 23.º.

Entre os homens, nos 20km o melhor resultado foi de Moacir Zimmermann, que terminou em 13.º, correndo a prova em 1h22min43s, abaixo do índice olímpico de 1h24min00s. Aos 32 anos, o marchador de Blumenau está qualificado para sua primeira Olimpíada, juntando-se a Caio Sena Bonfim, também sexto no Mundial do ano passado.

Caio se inscreveu para competir nos 50km em Dudince, mas foi só 35.º colocado - ele também tem índice para esta prova. Jonathan Riekmann foi o melhor brasileiro, em 19.º, com 3min55s26, 11 minutos abaixo do índice olímpico. A marca também é novo recorde nacional, superando por meros 10 segundos o tempo de Mário Jose dos Santos Junior em Dundice no ano passado.

Nesta prova, o Brasil tem três atletas qualificados: Mário, Caio e Jonathan. Como o período de obtenção de índices para os 50km fecha em 6 de maio e o tempo de recuperação é lento, dificilmente eles perderão as vagas. Claudio Richardson dos Santos, Rudnei Nogueira, Luiz Felipe dos Santos e Samir Sabadin tentaram o índice em Dudince, mas não foram bem. Claudio, quarto melhor do País, completou uma hora depois dos primeiros colocados. Samir foi desclassificado e os demais abandonaram.

Por enquanto, o Brasil tem seis atletas classificados para a marcha atlética no Rio-2016, para sete participações - Caio vai competir nas duas provas masculinas, que serão separadas por uma semana.