22°
Máx
14°
Min

Ruth Jebet bate recorde mundial dos 3.000 metros com obstáculos em Paris

A fundista Ruth Jebet, do Bahrein, continua em ótima forma após os Jogos Olímpicos do Rio. Campeã olímpica da prova dos 3.000 metros com obstáculos no Engenhão, ela disputou uma nova competição apenas doze dias após subir ao pódio, e conseguiu obter um desempenho ainda melhor: venceu a etapa de Paris da Diamond League e quebrou o recorde mundial da distância.

Naturalmente favorita para a prova dos 3.000m com obstáculos, Jebet fez um tempo quase sete segundos mais rápido que o marcado nos Jogos do Rio. Na ocasião, ela correu em 8min59s75. Desta vez, ela cravou a marca de 8min52s78, superando o antigo recorde, que era da russa Gulnara Galkina, desde os Jogos de Pequim, em 2008, com 8min58s81.

Curiosamente, a prova teve o pódio exatamente igual ao da Olimpíada do Rio. A queniana Hyvin Kiyeng Jepkemoi ficou em segundo lugar, desta vez com o tempo de 9min01s96, seguida da norte-americana Emma Coburn, que correu para 9min10s19.

Nos Jogos do Rio, Jepkemoi, que era uma das mais cotadas para o ouro olímpico, fez um tempo pior que o da prova deste sábado. Na ocasião, ela completou o percurso em 9min07s12. Já Coburn foi melhor na competição olímpica em comparação, quando fez 9min07s63.

Beatrice Chepkoech, também queniana, foi outra a repetir a colocação obtida no Rio de Janeiro, com a quarta colocação, assim como a quinta, a etíope Sofia Assefa. Na prova masculina, o vencedor foi outro fundista da Etiópia, Yomif Kejelcha, que não disputou os Jogos Olímpicos.

LAVILLENIE VENCE - Em casa no Stade de France, Renaud Lavillenie venceu a disputa do salto com vara na etapa deste sábado da Diamond League com a marca de 5,93 metros. O francês, que recentemente foi vice-campeão olímpico, tentou superar os 6,00 metros, mas não teve sucesso.

Ainda assim, garantiu o ouro e deu o troco no norte-americano Sam Kendricks, que o havia superado na última quinta-feira, na etapa de Lausanne da Diamond League. Agora o saltador dos Estados Unidos ficou em segundo lugar, com a marca de 5,81m. O pódio foi completado pelo checo Jan Kudlicka, com 5,71m.

DARLAN DECEPCIONA - Único representante do País na etapa de Paris, Darlan Romani teve desempenho ruim na disputa do arremesso de peso e ficou apenas na décima colocação, com a marca de 19,45 metros - nos Jogos do Rio, garantiu o quinto lugar com 21,02m, o melhor resultado da sua vida.

O neozelandês Tom Walsh, bronze no Rio-2016, levou o ouro em Paris, com 22,00 metros. Ele venceu o norte-americano Ryan Crouser por uma diferença mínima, de apenas um centímetro. O terceiro lugar ficou com Kurt Roberts, também dos Estados Unidos, com 20,78m.