23°
Máx
12°
Min

Alonso e Rosberg pedem maior participação dos pilotos nas decisões da F1

O espanhol Fernando Alonso e o alemão Nico Rosberg pediram nesta quinta-feira maior participação dos pilotos nas decisões estratégicas da Fórmula 1. Em entrevista coletiva às vésperas do GP do Bahrein, em Sakhir, os pilotos da McLaren e da Mercedes aprovaram a carta divulgada pela Associação de Pilotos de Grandes Prêmios (GPDA, na sigla em inglês) na qual eles questionam a liderança dos acionistas e dirigentes da categoria.

No documento, os pilotos criticaram a gestão da F1, classificaram o corpo diretivo de "obsoleto" e afirmaram que as decisões que vêm sendo tomadas pela direção atrapalham o desenvolvimento da categoria e a renovação dos fãs.

"Gostaríamos de pedir e clamar que donos e acionistas da F1 considerem uma reestruturação de sua própria governança. As direções e decisões futuras da F1, sejam elas ao curto ou longo prazo, esportivas ou técnicas, devem ser baseadas em um grande planejamento", declarou o GPDA.

A carta, assinada por Jenson Button, Sebastian Vettel, Fernando Alonso e Alexander Wurz, presidente da entidade, foi uma consequência das mudanças no treino classificatório da F1, em que os pilotos são eliminados gradualmente durante as três sessões. "Acho que a carta diz tudo", declarou Alonso, nesta quinta.

"Gostaríamos de estar mais envolvidos em algumas decisões ou em alguns acontecimentos nos quais podemos ajudar de alguma maneira. É um começo. É o jeito como o esporte está se movendo nos últimos anos, talvez não esteja se desenvolvendo do jeito certo", destacou o bicampeão da F1.

Rosberg ressaltou a união dos pilotos em busca de mudanças. "Estamos todos unidos porque amamos o esporte e porque estamos vendo os fãs criticando alguns aspectos do que podemos fazer melhor. Podemos tornar nosso esporte ainda mais empolgante e queremos questionar se a gestão da F1 pode ou não rever seu processo de decisão", afirmou.

O piloto alemão, vencedor da primeira corrida do ano, voltou a questionar o novo formato do treino classificatório. "O treino é um bom exemplo. Os fãs não estão felizes com isso. E nós corremos para os fãs. Mesmo as regras para a próxima temporada..." disse Rosberg, referindo-se às profundas mudanças pelas quais a F1 deve passar em 2017.

"Estamos dizendo que gostaríamos de nos envolver mais, de ter mais espaço para expressar nossas opiniões. Agora vamos ver no que essa carta pode nos ajudar", declarou o piloto da Mercedes.