21°
Máx
17°
Min

Hamilton bate e Rosberg termina sexta-feira em primeiro na Hungria

Para Hamilton, o segundo treino livre foi ruim (Foto: Studio Colombo/ Pirelli) - Hamilton bate e Rosberg termina sexta-feira em primeiro na Hungria
Para Hamilton, o segundo treino livre foi ruim (Foto: Studio Colombo/ Pirelli)

De contrato renovado com a Mercedes até 2018, em acordo anunciado nesta sexta-feira, o alemão Nico Rosberg aproveitou um acidente sofrido pelo inglês Lewis Hamilton, o seu companheiro de equipe, para terminar o segundo treino livre para o GP da Hungria, a 11ª etapa da temporada, na liderança, também fechando o dia como o piloto mais rápido no Hungaroring.

Após ver Hamilton liderar a dobradinha da Mercedes na primeira atividade da sexta-feira, Rosberg deu uma resposta na sessão vespertina, em um momento de afunilamento do campeonato - a diferença entre os dois pilotos da Mercedes na classificação é de apenas um ponto, favorável ao alemão.

Rosberg lidera o campeonato desde a primeira corrida, mas viu a diferença diminuir drasticamente nas duas últimas provas, ambas vencidas por Hamilton. Por isso, precisa dar uma resposta, sob o risco de perder a liderança para o inglês, em busca do seu terceiro título consecutivo e o quarto da carreira - o alemão nunca foi campeão.

Nesta sexta-feira, então, após ficar na segunda posição no primeiro treino livre, Rosberg liderou a segunda atividade, quando marcou o tempo de 1min20s435. O alemão, aliás, foi o único piloto a conseguir fazer uma volta em menos de 1min21 nas sessões realizadas no Hungaroring.

Já para Hamilton, o segundo treino livre foi ruim. Com apenas 15 minutos de treino, o inglês perdeu o controle da sua Mercedes na curva 11 e bateu na barreira de pneus. O acidente não causou maiores danos no carro, mas o inglês chegou a passar pelo centro médico, mesmo que apenas por precaução.

Assim, Hamilton fechou o segundo treino livre com apenas quatro voltas registradas, em quinto lugar, com a marca de 1min21s960, pior inclusive do que aquela que o fez liderar a sessão inicial, com 1min21s347.

Quem também se aproveitou do acidente de Hamilton foi o australiano Daniel Ricciardo, que venceu o GP da Hungria em 2014 e garantiu a vice-liderança do segundo treino livre com o tempo de 1min21s030.

Assim, ele ficou à frente do último piloto a triunfar no Hungaroring, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, que foi o terceiro mais rápido, com 1min21s348. Logo depois veio o holandês Max Verstappen, da Red Bull, em quarto, com 1min21s770.

Piloto que mais registrou voltas no segundo treino livre - 46 -, o finlandês Kimi Raikkonen garantiu a sexta posição com a sua Ferrari, sendo seguido pelos dois carros da McLaren, que voltaram a ficar entre os dez melhores, como já havia ocorrido no primeiro treino livre, com o espanhol Fernando Alonso em sétimo lugar e o inglês Jenson Button na oitava colocação.

Os dois pilotos da Force India completaram a lista dos dez primeiros no segundo treino livre no Hungaroring, com o alemão Nico Hulkenberg em nono lugar e o mexicano Sergio Pérez na décima posição.

Já os pilotos brasileiros voltaram a ficar longe dos primeiros lugares. Felipe Massa terminou na 12ª colocação, com o tempo de 1min22s681, duas posições à frente de Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe na Williams. Já Felipe Nasr teve problemas hidráulicos na parte final da atividade e garantiu somente o 20º lugar, com 1min23s986, dois postos atrás do sueco Marcus Ericsson, o outro piloto da Sauber.

Os pilotos voltam a acelerar neste sábado, quando serão realizados o terceiro treino livre e a sessão de classificação, agendada para as 9 horas (de Brasília). O horário é o mesmo da largada do GP da Hungria neste domingo.