28°
Máx
17°
Min

Hamilton lamenta novo problema durante GP da Rússia: 'Eu podia ter vencido'

Apesar da falha no motor que o levou a largar do 10º lugar neste domingo, Lewis Hamilton fez grande exibição no GP da Rússia, no Circuito de Sochi. O piloto inglês cruzou a linha de chegada em segundo lugar e até flertou com uma disputa com Nico Rosberg. Só não o fez por causa de um novo problema em seu carro, na pressão de água.

Ao fim da prova, Hamilton garantiu que poderia ter buscado a vitória, caso não tivesse sofrido com a falha em sua Mercedes. "Não havia dúvida na minha mente de que eu poderia vencer. Eu tinha o ritmo necessário, mas tive esse problema com o motor novamente. Então tive que desistir", lamentou o piloto.

Quando a falha foi detectada, Hamilton precisou reduzir o ritmo de corrida. Naquele momento da corrida, ele vinha diminuindo a diferença para Rosberg, que liderava com folga. De 13 segundos, o inglês reduzira para sete segundos a vantagem do alemão. Mas, em razão do problema, foi orientado pela equipe a desacelerar para não comprometer a vaga no pódio.

"Acontece. Apenas tenho que digerir isso em casa e me sentir grato por ter terminado a prova. Só precisamos fazer um trabalho melhor. Parece que é o meu lado da garagem que está passando por um momento difícil", afirmou, insinuando suposto favorecimento a Rosberg dentro da Mercedes.

O alemão ainda não sofreu com problemas mecânicos nesta temporada, após quatro etapas disputadas, enquanto Hamilton foi prejudicado por falhas em seu carro pela segunda corrida seguida - no GP da China, precisou largar da última colocação.

Na Rússia, os problemas começaram no sábado. Ao fim do Q2 do treino classificatório, uma falha no sistema de recuperação de energia do motor vacilou e ele não pôde disputar o Q3. Assim, precisou se contentar com o 10º lugar no grid de largada, neste domingo.

O atual campeão ainda correu risco de largar dos boxes neste domingo por causa de uma falha também no sistema de combustível. Para evitar isso, integrantes da Mercedes fizeram um viagem relâmpago de volta à fábrica da equipe, na Inglaterra, durante a madrugada, para buscar novos componentes para o carro de Hamilton.

"Gostaria de agradecer aos caras que voaram para a fábrica na noite passada. E aos mecânicos que trabalharam até as duas horas da madrugada para deixar o carro pronto. Sem eles, eu não teria nem chegado a este ponto", afirmou.

Com o triunfo de Rosberg, o quarto em quatro corridas neste ano, Hamilton viu o companheiro disparar no Mundial de Pilotos. O alemão agora lidera com vantagem de 43 pontos.