22°
Máx
17°
Min

Hamilton se diz 'empolgado' com Ferrari mais próxima da Mercedes na Fórmula 1

O GP da Austrália, disputado no último dia 20, serviu para mostrar, entre outras coisas, que a Ferrari está mais próxima de ameaçar o domínio que a Mercedes impôs sobre os seus concorrentes na Fórmula 1 nos últimos anos. Embora a corrida tenha tido a primeira dobradinha de Nico Rosberg e Lewis Hamilton na temporada, a escuderia italiana exibiu evolução em relação a 2015 e deu sinais de que Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen poderão protagonizar boas disputas com os favoritos ao título.

"Estou empolgado por pensar em mais corridas como a de Melbourne. Teremos problemas onde estaremos alguns segundos na frente da Ferrari, provas onde ocorrerão disputas roda com roda e corridas onde eles poderão estar à frente. Ainda não sabemos - e isso é animador", ressaltou o piloto inglês.

Hamilton, por sua vez, aposta que poderá vencer o GP do Bahrein, no próximo domingo, depois de abrir a temporada terminando a prova da Austrália na segunda posição. "Eu tenho uma boa sensação sobre o meu ritmo. Eu estava à frente em todo o final de semana (na Austrália) até a corrida, então estou confiante para o Bahrein. O Bahrein foi divertido nas últimas duas temporadas, mais provas assim seria ótimo", completou o tricampeão mundial.

Vencedor do GP da Austrália, Rosberg exibiu um discurso alinhado com o de Hamilton ao reconhecer que é empolgante ver a Ferrari mais próxima da Mercedes. E ele espera por mais provas emocionantes ao longo da temporada. Terceiro colocado em Melbourne, Vettel terminou a corrida pouco mais de um segundo depois de Hamilton cruzar a linha de chegada em segundo lugar.

"Aumentamos o nosso nível mais uma vez, mas a Ferrari foi uma ameaça real durante todo o fim de semana em Melbourne. É claro que temos uma grande batalha em nossas mãos. Tive grandes disputas no Bahrein nos últimos dois anos com Lewis e as Ferraris, e estou por esperando mais disso", admitiu o alemão, lembrando que a disputa apenas com Hamilton pelo título não é benéfica para a Fórmula 1, pois a categoria hoje está carente de mais emoção e sofre com queda contínua de audiência.